Nós, os vencidos da direita liberal

Se os argumentos do manifesto “A clareza que defendemos” são perfeitamente defensáveis enquanto afirmação de um espaço político, eles são absolutamente inúteis para a construção de um projecto de poder.

Os liberais sempre foram em Portugal uma espécie tão rara quanto o lince da Malcata. Durante muito tempo, tive a sensação de que todos os que existiam estavam a escrever nos jornais. Depois, os blogues e as redes ajudaram a juntá-los e foi até possível formar um partido político. Os 68 mil votos que a Iniciativa Liberal obteve em 2019 surpreenderam muita gente, incluindo eu próprio. Não há dúvida de que o partido está a crescer, e talvez possa chegar aos 100 mil votos nas próximas eleições. Um por cento da população já se rendeu às virtudes do liberalismo. Só falta convencer os restantes 99.