Quando as nossas fotografias de família são património

Rafaela foi uma das vencedoras do concurso Imagens do Património, que uniu a Galiza e Norte de Portugal, com uma fotografia do trisavô durante a Primeira Guerra Mundial. A de Cláudia mostra a avó e a bisavó na banca dos legumes. “Manifestações culturais que pelo seu simbolismo fazem parte da nossa memória colectiva”, diz a Associação Ponte... nas Ondas!

caminha,galiza,fotografia,fugas,patrimonio,porto,
Fotogaleria
Vencedora (Categoria Ensino Básico) Rafaela Gomes Teles (Escola Básica e Secundaria de Sobreira, Paredes)
caminha,galiza,fotografia,fugas,patrimonio,porto,
Fotogaleria
O Dia de Reis em finais dos anos 60. Un cavalinho de rodinhas e um carrinho de bebé Marta Leiro Costa
caminha,galiza,fotografia,fugas,patrimonio,porto,
Fotogaleria
Padaria da Anita, bisavó de Marta, (Cambados), corriam os anos 40. Marta Leiro Costa
caminha,galiza,fotografia,fugas,patrimonio,porto,
Fotogaleria
1960. A embarcação "Canero" estava atracado no porto de Algeciras para descarga de peixe Leo Cabral
Cavalo
Fotogaleria
Na foto de 1964 (tirada por um fotógrafo ambulante em Santo André de Valadares, Vigo) estão Amparo, avó de Nerea, e os seus pais Delfim e Ângela Nerea Rodríguez Otero
fugas,
Fotogaleria
Alunas numa escola de Maside (Ourense) no ano de 1952. Jacobo Touza Marzoa
fugas,
Fotogaleria
Maria Hermínia, a avó de Irea, com amigas durante um jogo de "brilé" Irea Adriana Alén Fernández
fugas,
Fotogaleria
Alfaiataria de Sérgio, bisavô de Marta (Cambados), anos 50 Marta Leiro Costa

Na fotografia está um grupo de trabalhadores do campo em França durante a Primeira Guerra Mundial — entre eles António, trisavô de Rafaela —, num momento da história em que sobrava gente nos campos de batalha e escasseava mão-de-obra na agricultura e na indústria. Esta foto foi usada como carta. No seu verso, António pedia à família que lhe desse noticias de casa. “Encontram-se muitos erros ortográficos, mas mesmo assim o meu bisavô tinha muito orgulho nela. Isto porque o pai dele sabia ler e escrever, o que era uma coisa muito rara naquela altura, principalmente para quem vivia da agricultura. Foi com esta foto que eu fiquei a conhecer mais sobre a vida dele e também dessa época.”

A fotografia apresentada por Rafaela Gomes Teles, da Escola Básica e Secundaria de Sobreira, Paredes, foi uma das vencedoras (na Categoria Ensino Básico) do terceiro concurso Imagens do Património criado pela Associação Cultural e Pedagógica Ponte... nas Ondas!, que une Galiza e Norte de Portugal e que pretende, como objectivo principal, “mostrar às novas gerações a existência de um rico e variado Património Cultural”.

PÚBLICO -
Foto
Segundo lugar (Categoria Ensino Básico) Sira García (CEP Sabarís, Baiona)

A associação propôs a escolas de Ourense, Muros, Nigrán, Betanzos e da Fonsagrada entre outras tantas galegas, e de Valença de Minho, Caminha, Vila Nova de Famalicão e Porto, como exemplo desde Portugal, que abrissem os álbuns de recordações e os baús do sótão, que investigassem e que procurassem, com a ajuda dos docentes e na companhia de seus familiares, “aquelas fotos” que contêm elementos do património cultural, “na procura de elementos e vivências concretas para constatar, desde o presente, o valor que cumpriram e continuam a cumprir, manifestações culturais que pelo seu simbolismo fazem parte da nossa memória colectiva”.

PÚBLICO -
Foto
Terceiro lugar (Categoria Ensino Básico) Maria João Carvalho (Agrup. Esc. Gondifelos, Famalicão)

Como complemento desta busca, a associação — que fez coincidir o anuncio das fotografias vencedoras com o Dia do Património Mundial, 16 de Novembro — solicitou a todos os participantes a inclusão de um texto explicativo da imagem.

PÚBLICO -
Foto
Fotografia vencedora (Ensino Secundário) Cláudia Vigo (IES António Fraguas, Santiago de Compostela)

Cláudia Vigo, do IES Antonio Fraguas, da Corunha, apresentou uma fotografia (vencedora na categoria Ensino Secundário) tirada “aproximadamente” em 1950 na qual são retratadas a sua avó e bisavó no seu “trabalho de toda a vida”. “A minha avó trabalhou desde os dez anos na praça de Abastos, o segundo monumento mais visitado turisticamente de Santiago, depois da Catedral”, conta Cláudia. “Vendia legumes e fruta numa banca. E mais tarde flores. Fornecia dois dos mais importantes hotéis de Santiago. Trabalhava todos os dias pela manhã menos ao domingo. Deixou de trabalhar aos 65 anos e sempre disse que ali foi muito feliz. Adoro ir à praça com a minha avó e a minha mãe”.

PÚBLICO -
Foto
Segundo lugar (Categoria Ensino Secundário) Claudio Afonso Conraria (Escola Básica e Secundária do Agrup. de Esc. Muralhas do Minho, Valença)

“A iniciativa”, diz a organização, parte da ideia de que o Património Cultural Imaterial é um “conjunto imenso de expressões culturais e de tradições herdadas do passado que as pessoas preservam e se encarregam de transmitir às gerações futuras. Desde o começo do século XX esse conjunto de expressões herdadas do passado e transmitidas de forma oral, encontraram na fotografia um valioso registo documental.”

O júri é constituído por Anxo Cabada, professor e fotógrafo, Xerardo Pereiro, professor e antropólogo, Cristina Sánchez-Carretero, investigadora e antropóloga e, Xerardo Feijoo, membro da Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas ondas! (com voz e sem voto).

Foi atribuído um prémio especial à escola que enviou o maior conjunto de fotografias que, cumprindo as bases do concurso, têm grande relevância pelo seu conteúdo: CEP Sabarís, de Pontevedra.

As fotografias participantes e os seus textos explicativos passaram a fazer parte do arquivo que a Ponte...nas ondas! tem à disposição das escolas e fará parte de actividades pedagógicas na agenda da Associação, que disponibiliza online todas as fotografias que estiveram a concurso nesta e nas anteriores edições.

PÚBLICO -
Foto
Terceiro lugar (Categoria Ensino Secundário) Greta García Salgueiro (IES Valadares)
Sugerir correcção