Eutanásia ainda tem um longo caminho a percorrer até Belém

Aprovados os cinco projectos de lei sobre a legalização da morte medicamente assistida, os deputados poderão em breve ser confrontados com a proposta de referendo.

Foto
Apesar dos esperados votos dissonantes nas duas maiores bancadas, os cinco projectos de lei acabaram por vingar Nuno Ferreira Santos

O primeiro passo para a legalização da morte medicamente assistida em Portugal foi dado com a aprovação de todos os cinco projectos de lei, mas o caminho que ainda é preciso fazer na especialidade e até ao fecho do processo não é uma estrada aberta nem tem a meta à vista. É quase certo que a desenhar curvas nesse caminho estará a questão do referendo, seja por uma iniciativa de cidadãos ou de um grupo de deputados à direita, e também a necessidade de entendimento para se chegar a um único texto a partir dos cinco aprovados.