PS chumbou proposta sobre Erasmus Interior do PSD

Medida foi proposta em Março pelos sociais-democratas no Parlamento.

Líder do PS defendeu um Erasmus para o interior em Vila Real
Foto
Líder do PS defendeu um Erasmus para o interior em Vila Real LUSA/PEDRO SARMENTO COSTA

António Costa, primeiro-ministro e secretário-geral do PS, aproveitou um comício em Vila Real, no passado sábado, para defender a criação de um Erasmus interno, para atrair jovens estudantes para territórios do interior. Um dia depois, o líder do PSD, Rui Rio, veio sugerir que a ideia foi copiada de uma proposta social-democrata apresentada “há meses largos” e agora vertida no programa eleitoral. Essa proposta foi mesmo apresentada na Assembleia da Republica e chumbada por PS, BE, PCP e PEV, com a abstenção do PAN.

O projecto de lei do PSD que propunha um Erasmus Interior fazia parte de um pacote legislativo apresentado na Assembleia da República, em Março deste ano, pelos sociais-democratas para o Ensino Superior. A iniciativa foi chumbada pelos socialistas (só PSD e CDS votaram a favor) com o argumento de que a proposta “não acrescentava nada à estratégia” colocada em marcha pelo Governo de incentivar jovens a estudarem em instituições do interior.

Este sábado, num comício de pré-campanha, António Costa defendeu um Erasmus Interior para que os jovens “só conhecem a país da onda do surf” tenham a oportunidade de conhecer “outros territórios, saberes e espaços”, dentro do país. A proposta resulta de uma medida que está prevista no programa do PS: a criação de um programa Erasmus interno, “fomentando a mobilidade de estudantes entre instituições de ensino do litoral e do interior”.

Um dia depois das declarações do líder do PS, Rio sugeriu que o PSD já tinha avançado com a medida. “Propusemos isso há meses largos, traduzimos isso agora no nosso programa eleitoral, é uma medida que, se o PS concorda com ela, só temos de nos regojizar com isso”, disse Rui Rio, sem referir que a proposta foi chumbada este ano pelo PS.

Questionado sobre a coincidência de PSD e PS defenderem a mesma medida, declarou: “O doutor António Costa terá lido bem o programa do PSD e reproduzido bem uma ideia de que gostou”.

Programa Almeida Garrett

Apesar de os dois líderes terem disputado a originalidade e a autoria da ideia, a verdade é já existe um programa deste tipo intitulado Almeida Garrett e criado por iniciativa do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP). O seu objectivo é “promover a qualidade e reforçar a dimensão nacional do ensino superior”, lê-se no site da reitoria.

“No quadro da mobilidade de estudantes, o Programa Almeida Garrett oferece a possibilidade de efectuar um período de estudos (um semestre), com pleno reconhecimento académico, numa universidade pública portuguesa” e destina-se a estudantes a partir do segundo ano desde que disponham de, no mínimo, aprovação em 60 créditos”.

Já esta segunda-feira, a coordenadora do BE, Catarina Martins, classificou como “projectos mais ou menos caricatos” a proposta do Erasmus Interior, lembrando que “dar contratos de trabalho permanentes” a investigadores seria “uma grande medida” nas instituições universitárias. “Quando ouço projectos mais ou menos caricatos sobre o ensino superior, sobre o interior, devo dizer que dar contratos de trabalho permanentes aos investigadores que aqui estão, isso sim, era uma grande medida para fixar população nestas universidades e institutos politécnicos um pouco por todo o país”, destacou, durante uma visita à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real.