Ryanair ameaça com acções disciplinares a quem não cumprir serviços mínimos

Paralisação dos tripulantes de cabine portugueses começa hoje e dura até domingo, dando início a um novo surto de greves que afectam a transportadora

Foto
Transportadora aérea irlandesa atravessa um novo ciclo de greves em países europeus REUTERS/Kevin Coombs

A Ryanair aproveitou a definição de serviços mínimos por parte do Governo durante a greve de cinco dias convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) para afirmar que quem for convocado e não aparecer será alvo de “procedimentos disciplinares”. Numa missiva enviada esta segunda-feira ao SNPVAC, a transportadora aérea irlandesa de baixo custo sublinha que os tripulantes de cabine convocados para assegurar os serviços mínimos têm de cumprir com todos os seus deveres, o que inclui “avisos, vendas, apoio ao cliente, etc”.