Vilar de Mouros encerra cartaz com The Cult, Tape Junk e Jarojupe

O icónico festival EDP Vilar de Mouros encerra o seu cartaz com a confirmação da presença dos britânicos The Cult e as bandas portuguesas Tape Junk e Jarojupe

Concerto de rock
Foto
Ian Astbury dos The Cult Miguel Manso

O festival Vilar de Mouros, um dos mais antigos de Portugal, que irá decorrer entre os dias 22 a 24 de Agosto,​ encerrou o seu cartaz com a inclusão dos britânicos The Cult e os portugueses Tape Junk e Jarojupe.

Os The Cult, que estiveram pela última vez em Portugal na edição 2017 do festival Nos Alive, foram um dos grupos que lideraram o revivalismo do heavy metal em Inglaterra nos anos 80. Mais recentemente, têm andado em tour a celebrar o 30.º aniversário do seu quarto álbum em estúdio, Sonic Temple. Os britânicos vão actuar no primeiro dia do festival.

Também no primeiro dia do festival irão actuar os Tape Junk, banda de indie rock de Lisboa, que em Março lançaram o seu segundo álbum, Couch Pop, com o selo da editora Pataca Discos.

Os Jarojupe, formados em 1981, são naturais de Viana do Castelo e foram uma das primeiras bandas de heavy metal a surgir em Portugal. No ano passado, lançaram o seu mais recente álbum de originais, Crimson. Os minhotos vão actuar no terceiro e último dia do festival.

Estes três nomes juntam-se a nomes como Manic Street Preachers, Anna Calvi, The Offspring, Skunk Anansie, Linda Martini, Killing Joke, The Wedding Present, The Sisters Of Mercy, The House Of Love, Gang Of Four e Fischer-Z.

Um festival mais amigo do ambiente

Este ano, a organização adoptará algumas alterações para tornar o festival mais amigo do ambiente, nomeadamente a instalação de tendas feitas de cartão, um sistema que reutiliza as águas dos chuveiros para as sanitas, e será ainda reforçada a disponibilização de bicicletas gratuitas, entre Caminha e o recinto do festival. Para além destas medidas, será colocado um centro de compostagem e uma central de recolha de roupa em Caminha. 

A área do recinto dos concertos será aumentada para os vinte mil metros quadrados e a zona de campismo será alargada para acolher mais mil tendas.

O primeiro Vilar de Mouros aconteceu em 1965 e é reconhecido como o "Woodstock português”. Depois de anos inconstantes, desde 2016 que o Vilar de Mouros tem acontecido anualmente de forma regular e contou com nomes como Jesus and the Mary Chain, Primal Scream e Incubus.

Em 2018, a EDP começou a patrocinar o festival, que se passou a designar EDP Vilar de Mouros.

Sugerir correcção