Palcos da semana

Homenagens em palcos e telas, um Mono artístico e Alceste regressada.

Foto
Ana Quintans DR

Ópera
Alceste de Vick com Quintans

Um dos momentos mais aguardados da presente temporada do São Carlos é o regresso de uma ópera não que ali não é apresentada há pelo menos 60 anos: Alceste, de Gluck. E vem assinada pelo inglês Graham Vick, um dos maiores encenadores de ópera contemporâneos, conhecido pelo arrojo das suas produções – basta lembrar Werther e O Anel do Nibelungo, que trouxe a este palco, respectivamente, em 2004 e de 2006 a 2009. O compatriota Graeme Jenkins encarrega-se da direcção musical do espectáculo. À Orquestra Sinfónica Portuguesa e ao Coro do Teatro Nacional de São Carlos junta-se um elenco vocal que conta com a soprano Ana Quintans no papel-título e ainda Leonardo Cortellazzi, Alexander Duhamel, Fernando Guimarães, João Fernandes e Christian Luján. Com libreto de Ranieri de' Calzabigi, Alceste baseia-se na tragédia homónima de Eurípides.

LISBOA Teatro Nacional de São Carlos
Dias 19, 21, 23 e 25 de Janeiro, às 20h; dia 27, às 16h.
Bilhetes de 19€ a 65€

 

PÚBLICO -
Foto
Adrian Borland DR

Música/Cinema
Um docuconcerto para Borland

Adrian Borland (1957-1999), o vocalista da banda inglesa de pós-punk The Sound, vai ser homenageado em duas sessões e de duas formas: cinema e música. Na tela, é exibido Walking In the Opposite Direction, de 2016, realizado por Marc Waltman. Entre material de arquivo, depoimentos e entrevistas, documenta a história do músico, vivida entre a intensidade criativa e a luta contra a doença mental, que encontraria desfecho trágico numa linha de comboio. Depois da projecção, entra em cena a banda-tributo In2theSound, liderada pelo baterista Michael Dudley, membro fundador dos The Sound.

PORTO Hard Club
Dia 19 de Janeiro, às 19h e 21h.
Bilhetes a 20€

 

PÚBLICO -
Foto
Júlio Pereira Paula Sant Ana

Música
Embalados por Zeca

Para abrir o ano em que se cumprirão os 45 anos da Revolução dos Cravos, Júlio Pereira, mestre do cavaquinho e de outros cordofones, resolveu juntar músicos de diferentes gerações para lembrar e reinterpretar a obra de um poeta-cantor da revolução que foi também seu companheiro de estúdio e palco: José Afonso. Chamou para À Sombra Não me Quito - Ao Embalo de José Afonso António Zambujo, Camané, Carlão, Sara Tavares e Teresa Salgueiro, bem como a actriz Teresa Coutinho para a leitura de textos. É um espectáculo único que acontece semanas depois de Júlio Pereira ter recebido pela segunda vez o prémio José Afonso, pelo álbum Praça de Comércio (o primeiro foi para Janelas Verdes, em 1991).

VISEU Teatro Viriato
Dias 17 e 18 de Janeiro, às 21h30.
Bilhetes a 20€

 

PÚBLICO -
Foto
Still de syn_mod Ryoichi Kurokawa

Arte
Kurokawa em Mono

Depois de ter estado em Braga, em 2014, para tocar no festival Semibreve e, mais recentemente, para uma residência artística no GNRation no âmbito do programa Scale Travels, Ryoichi Kurokawa inaugura a exposição Mono. Japonês radicado em Berlim, Kurokawa tem desenvolvido a par da música um corpo de trabalho que recorre a vídeo, instalação, field recordings, performance e outros meios na construção de peças sonoras e audiovisuais por vezes imersivas. Em Mono, exibe produções da última década, incluindo as séries syn_mod.n e unfold.alt.

BRAGA GNRation
De 18 de Janeiro a 7 de Abril. Segunda a sexta, das 9h30 às 18h30; sábado, das 10h às 18h30.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Margarida Cardoso Enric Vives-Rubio

Cinema
Entre Yvone e farpões

Yvone Kane, de Margarida Cardoso, uma história de mulheres em África a investigar (e procurar redenção para) o passado, abre uma mostra de cinema dedicada às mulheres atrás das câmaras. Chama-se Realizadoras Portuguesas e projecta uma selecção de filmes "de algumas das mais importantes cineastas a trabalhar em Portugal desde o pós-25 de Abril", contando com a presença delas, com apresentações feitas por convidados e com debates. Até ao fecho – uma sessão de curtas rematada por Farpões Baldios, de Marta Mateus – passam pela mostra obras de Solveig Nordlund, Margarida Gil, Catarina Mourão, Teresa Villaverde, Raquel Freire, Susana de Sousa Dias, Cláudia Varejão, Leonor Teles e Salomé Lamas.

LISBOA Caleidoscópio - Centro Académico (Campo Grande)
De 18 a 20 e de 25 a 27 de Janeiro. Sexta, às 21h; sábado, às 16h e 21h; domingo, às 16h.
Grátis