Ministro de Soares, primeiro-ministro por indicação de Eanes e vice-primeiro-ministro no Bloco Central, Mota Pinto morreu cedo, aos 48 anos, e deixou Soares “desamparado”. Um livro recente retira da penumbra uma personalidade crucial no percurso do país da Revolução para a Europa.

  • Ministro de Soares, primeiro-ministro por indicação de Eanes e vice-primeiro-ministro no Bloco Central, Mota Pinto morreu cedo, aos 48 anos, e deixou Soares “desamparado”. Um livro recente retira da penumbra uma personalidade crucial no percurso do país da Revolução para a Europa.

  • Tal como dia em que regressou a Portugal após o 25 de Abril, voltou-se a ouvir “Soares amigo, o povo estará contigo!” E esteve, ao longo das ruas de Lisboa, na despedia emocionada ao fundador do PS, antigo presidente da República e primeiro-ministro.

  • Foi o primeiro primeiro-ministro resultante de eleições, em 1976, teve um papel fundamental na descolonização e na entrada de Portugal na CEE. Eis Mário Soares (pouco visto) através dos manuais escolares.

  • Mário Soares foi o homem, o político, o pensador, o fundador da democracia. Viu, viveu, fez viver e mudar. Poucos como ele ficarão nos livros da história. Uma história de alguém que nunca desistiu e que aqui se conta.

  • Em 1965, Mário Soares proferiu um discurso que foi um marco, uma fronteira na oposição e uma das componentes do processo que o 25 de Abril irá prosseguir e mudar o curso da História.

  • Na sequência do impacto do seu Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas, Joana Craveiro e o Teatro do Vestido regressam ao imenso espólio sobre a ditadura em Portugal para uma exposição-performance no Teatro São Luiz. Mesmo ali ao lado da antiga sede da PIDE-DGS.

  • "Os partidos da 'geringonça' não têm entusiasmo na 'geringonça'. Nem o PS. Talvez António Costa, mas esse consegue ser mais optimista do que a Mão de Deus", diz Salviati.

  • Por isso, este acto praticado pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que também é reconhecido autor, honra o muito que foi feito e responsabiliza-nos perante os perigos que ainda podem vir a pairar sobre a liberdade neste mundo turbulento e incerto.

  • Vivemos num mundo em que o que acontece só acontece se passa nas emissões televisivas ou no youtube ou registado numa selfie