Incêndio de Mendocino é já o maior de sempre na história da Califórnia

Em Mendocino, a área ardida é já superior a um dos maiores fogos do ano passado. Donald Trump criticou a legislação da Califórnia e acusou o estado de estar a desperdiçar água.

Fotogaleria
O complexo de Mendocino é constituído por dois fogos que se juntaram num só: o River Fire e o Ranch Fire Reuters/Fred Greaves
Fotogaleria
Reuters/FRED GREAVES
Fotogaleria
Reuters/FRED GREAVES
Fotogaleria
Reuters/FRED GREAVES
Fotogaleria
Reuters/FRED GREAVES

Os incêndios florestais já tinham assombrado o estado norte-americano da Califórnia no último mês (e no último ano), mas agora os dois fogos que se juntaram num só e lavram no Parque Nacional de Mendocino tornaram-se nos maiores incêndios de que há registo na história do estado. Já queimaram mais de 114 mil hectares — o equivalente à extensa cidade de Los Angeles.

Os dados, revelados segunda-feira, são do Departamento Florestal e de Protecção de Incêndios da Califórnia. As autoridades acreditam que possa demorar cerca de uma semana até dominar as chamas por completo.

Pelo menos 75 casas ficaram destruídas por este incêndio, que está a ser chamado “complexo de Mendocino”, e milhares de pessoas viram-se obrigadas a abandonar as suas residências para fugir das chamas, que deflagraram a 27 de Julho.

Cerca de 3900 equipas de bombeiros (incluindo corporações do Arizona, Washington e Alasca) estão a combater o incêndio de Mendocino, que não dá sinais de abrandamento. Mas, por todo o estado da Califórnia, há mais de 14 mil bombeiros e militares a combater oito incêndios, todos de grande dimensão.

“Infelizmente, os bombeiros não terão descanso tão cedo”, disse  Brian Hurley, do Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA,citado pela Reuters. O meteorologista referiu que as temperaturas poderão chegar aos 43ºC no Norte da Califórnia, com ventos fortes e pouca humidade.

O Presidente Donald Trump declarou o incêndio uma “grande catástrofe” e utilizou o Twitter para criticar a legislação estadual: “Os incêndios na Califórnia estão a ser agravados pelas más leis ambientais que não estão a permitir que grandes quantidades de água possam ser utilizadas devidamente”, escreveu, mas foi rebatido pouco depois.

“Temos muita água para combater estes incêndios, mas sejamos claros: são as alterações climáticas que levam a que haja fogos mais graves e mais destrutivos”, respondeu Daniel Berlant, do Departamento Florestal e de Protecção de Incêndios da Califórnia, citado pelo New York Times.

O incêndio deste ano já ultrapassou os 113 mil hectares ardidos durante o incêndio de Thomas, em 2017. No Norte do estado, o incêndio de Carr queimou 66 mil hectares e resultou na morte de sete pessoas. Ainda arde, mas está agora 45% confinado desde que deflagrou a 23 de Julho.