Carlos Costa quer ser ouvido no Parlamento sobre BES

Governador do Banco de Portugal enviou uma carta à deputada Teresa Leal Coelho, noticia o Expresso.

Carlos Costa quer esclarecer a sua actuação no caso BES
Foto
Carlos Costa quer esclarecer a sua actuação no caso BES Enric Vives-Rubio

O governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, enviou nesta segunda-feira uma carta à presidente da Comissão Parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA), Teresa Leal Coelho, disponibilizando-se a prestar esclarecimentos sobre a sua actuação e a do BdP no caso Banco de Espírito Santo (BES).

O Expresso adianta que o pedido foi feito depois do primeiro capítulo de uma reportagem da SIC ter revelado que o governador ignorou informações que lhe teriam permitido afastar mais cedo Ricardo Salgado da liderança do banco. De acordo com a reportagem, pelo menos nove meses antes da resolução do BES, o BdP tinha já conhecimento dos riscos inerentes ao Grupo Espírito Santo.

"Há um conjunto de acusações à supervisão que distorcem aquilo que é a realidade do que se passou", afirma Carlos Costa na carta que enviou a Teresa Leal Coelho, depois de na semana passada ter telefonado à deputada a disponibilizar-se para ir ao Parlamento.

O governador pretende "esclarecer todos os pontos" levantados na reportagem Assalto ao Castelo, "em defesa do BdP e para promover a confiança" na instituição.

Contactada pelo PÚBLICO, fonte oficial do BdP preferiu não divulgar o teor da carta enviada à Assembleia da República, nem tecer quaisquer comentários sobre o assunto.

Fonte parlamentar confirma a recepção do pedido, acrescentando que o assunto será colocado em cima da mesa na próxima reunião da COFMA, que está marcada para amanhã.

O BdP já tinha publicado dois esclarecimentos a propósito das reportagens. Num deles,a instituição supervisora explica que "no que se refere ao caso concreto de avaliação de idoneidade de administradores do Grupo BES foram desenvolvidas várias diligências pelo Banco de Portugal junto dos próprios – nomeadamente através da troca de comunicações escritas e da realização de reuniões presenciais – bem como junto de outras entidades.”

No outro, o BdP contesta a informação de que recebeu do BPI um relatório detalhado sobre a situação do grupo GES. A SIC assegura que o documento foi entregue pessoalmente por Fernando Ulrich, líder do BPI, ao governador Carlos Costa, tendo este selado o relatório com a designação "confidencial".