PSD aprova Orçamento em nome do “interesse nacional”

Foto
Miguel Frasquilho espera que, em 2014, seja apresento um orçamento assente na redução da despesa Foto: Enric Vives-Rubio

“Chegamos a 2013 com o maior aumento de impostos de que há memória. A forma como as metas orçamentais de 2013 são conseguidas não faz parte da matriz ideológica do PSD”, disse Miguel Frasquilho ao ministro das Finanças, Vítor Gaspar, que está a ser ouvido na Comissão Parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública.

Apesar de salvaguardar que esta forma de reduzir o endividamento das contas públicas “não agrada” ao PSD, “nem agradará a ninguém”, o deputado social-democrata garantiu que o partido irá votar favoravelmente o orçamento do próximo ano, “porque é uma questão de interesse nacional”

Mas deixou um recado ao Governo: o PSD aprova o OE na esperança de que, em 2014, seja possível voltar a apresentar um orçamento assente na redução da despesa.

Apesar destas afirmações, Miguel Frasquilho fez questão de recordar que o “enorme aumento de impostos” previsto para 2013 é a consequência da decisão do Tribunal Constitucional de “chumbar” os cortes dos subsídios a funcionários públicos e pensionistas. Uma decisão que, salientou o deputado do PSD, “lesou os interesses de Portugal”.