PSD aprova Orçamento em nome do “interesse nacional”

Miguel Frasquilho espera que, em 2014, seja apresento um orçamento assente na redução da despesa
Foto
Miguel Frasquilho espera que, em 2014, seja apresento um orçamento assente na redução da despesa Foto: Enric Vives-Rubio

O vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, Miguel Frasquilho, disse nesta quarta-feira ao ministro das Finanças que “o maior aumento de impostos de que há memória”, previsto para 2013, não faz parte da “matriz ideológica” do partido. Mas garantiu que os sociais-democratas vão votar a favor do orçamento do próximo ano por uma questão de “interesse nacional”.

“Chegamos a 2013 com o maior aumento de impostos de que há memória. A forma como as metas orçamentais de 2013 são conseguidas não faz parte da matriz ideológica do PSD”, disse Miguel Frasquilho ao ministro das Finanças, Vítor Gaspar, que está a ser ouvido na Comissão Parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública.

Apesar de salvaguardar que esta forma de reduzir o endividamento das contas públicas “não agrada” ao PSD, “nem agradará a ninguém”, o deputado social-democrata garantiu que o partido irá votar favoravelmente o orçamento do próximo ano, “porque é uma questão de interesse nacional”

Mas deixou um recado ao Governo: o PSD aprova o OE na esperança de que, em 2014, seja possível voltar a apresentar um orçamento assente na redução da despesa.

Apesar destas afirmações, Miguel Frasquilho fez questão de recordar que o “enorme aumento de impostos” previsto para 2013 é a consequência da decisão do Tribunal Constitucional de “chumbar” os cortes dos subsídios a funcionários públicos e pensionistas. Uma decisão que, salientou o deputado do PSD, “lesou os interesses de Portugal”.