Crise do euro

Presidente do Eurogrupo diz que extensão do plano grego depende da troika

Antonis Samaras (à esquerda) diz que a Grécia aplicará o acordo da troika "à letra"
Foto
Antonis Samaras (à esquerda) diz que a Grécia aplicará o acordo da troika "à letra" Foto: Louisa Gouliamaki/AFP

O presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, fixou como prioridade da Grécia a consolidação das contas públicas e fez depender da avaliação da troika a decisão de prolongar o prazo do plano de ajustamento financeiro.

À saída de uma reunião de trabalho com o primeiro-ministro grego, em Atenas, nesta quarta-feira, Juncker abordou o pedido de Antonis Samaras para a zona euro dar mais tempo à Grécia para cumprir as metas do programa de assistência.

Enquanto o primeiro-ministro grego voltava a garantir que o país cumprirá os objectivos, Juncker remeteu uma decisão para depois de ser conhecido o próximo relatório da missão do BCE, da Comissão Europeia e do FMI ao plano de ajustamento grego. A mesma mensagem foi repetida pela chanceler alemã, Angela Merkel.

A declaração de Juncker foi feita no mesmo dia da publicação de uma entrevista de Antonis Samaras ao diário alemão Bild, na qual pede mais tempo para adoptar as reformas estruturais exigidas pelos credores internacionais.

Para cumprir o programa acordado com a Comissão Europeia, o BCE e o FMI, a Grécia comprometeu-se a cortar 11,5 mil milhões de euros na despesa em 2013 e 2014. Para já, Samaras definiu medidas para poupar 10,8 mil milhões, faltando encontrar onde reduzir a despesa em 700 milhões de euros.

Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião, Juncker definiu como “prioridade número um” do Governo grego a consolidação das contas públicas, acompanhada de “reformas estruturais” e da implementação do processo de privatizações.

Este foi o primeiro encontro de uma ofensiva diplomática que Antonis Samaras leva a cabo esta semana, com reuniões de trabalho com a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, François Hollande, para mostrar aos líderes europeus o compromisso da Grécia em avançar com mais cortes orçamentais.

“Declarámos que aplicaremos à letra o acordo. O que pedimos é [para] voltar a crescer o mais cedo possível”, afirmou Samaras, ao lado de Jean-Claude Juncker.

Refreando as expectativas em relação ao pedido do chefe do executivo grego, Angela Merkel afirmou também hoje que não haverá novidades em relação à Grécia quando se encontrar com o primeiro-ministro grego, na sexta-feira.