O presidente do BCP considera que a entrada da Fosun no capital do banco reforça a estabilidade accionista. Sinergias com o grupo chinês vão abrir novos negócios e mercados.

  • O presidente do BCP considera que a entrada da Fosun no capital do banco reforça a estabilidade accionista. Sinergias com o grupo chinês vão abrir novos negócios e mercados.

  • O banco liderado por Nuno Amado registou um lucro de 50 milhões de euros entre Janeiro e Março, um crescimento face aos 46,7 milhões de euros do mesmo período do ano passado

  • Banco de Portugal está à espera que o Haitong entregue a lista com os nomes para os órgãos sociais que terão de incluir independentes

  • Depois do aumento de capital a chinesa Fosun, a petrolífera angolana Sonangol, a empresa de energia EDP e a Interoceânico, os quatro grandes accionistas do BCP representados no Conselho de Administração, passaram a dominar 42,3 por cento da instituição liderada por Nuno Amado.

  • O voto contra do PS na Assembleia, quando se propôs a obrigação de uma declaração de património na CGD, mostra um compromisso que tem perna curta.