Para travar o ensino privado, até a injustiça serve

Aos deputados não lhes passa pela cabeça que no sector cooperativo há filhos de pobres. Ou que há famílias remediadas a fazer enormes esforços para terem os filhos num colégio.

A distribuição gratuita de manuais escolares a todos os alunos do ensino público já é por si própria uma medida polémica por tratar de forma igual o que é por natureza diferente — há famílias que precisam desse e de muitos mais apoios e outras famílias que podem prescindir dele. Mas a Assembleia da República tornou-a ainda mais polémica, ao chumbar uma proposta que pretendia alargar essa distribuição às escolas privadas ou do sector cooperativo.

Sugerir correcção
Ler 73 comentários