Mbougar Sarr: “A literatura não resolve as nossas angústias mas dá-lhes uma expressão artística”

Em A Mais Secreta Memória dos Homens, Prémio Goncourt 2021, o escritor senegalês Mohamed Mbougar Sarr reflecte sobre o que há de político no gesto da escrita e no amor pela literatura.

Foto
Mohamed Mbougar Sarr recebeu o Prémio Goncourt em 2021 Sophie Bassouls/Sygma via Getty Images

Quando em 2021, o senegalês Mohamed Mbougar Sarr recebeu o Prémio Goncourt por A Mais Secreta Memória dos Homens, o seu quarto romance e o primeiro a ser editado em Portugal pela Quetzal, tornou-se aos 31 anos o primeiro autor da África subsaariana a receber este prémio e o mais novo galardoado desde 1976. Apesar de ser um prémio monetário simbólico de dez euros, o mais prestigiado prémio literário francês catapulta o escritor vencedor para a ribalta e exponencia as vendas e as traduções da obra premiada.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários