Diga-me, caro leitor: quanta verdade consegue suportar?

Nos tempos da troika, Passos Coelho e Vítor Gaspar abusaram da verdade. Nos tempos da “geringonça”, António Costa e Mário Centeno abusaram da mentira. Todos estão hoje a pagar o preço de não terem encontrado o equilíbrio entre transparência e ocultação.

transparencia,democracia,opiniao,antonio-costa,vitor-gaspar,pedro-passos-coelho,
Fotogaleria
LM - miguel Manso
transparencia,democracia,opiniao,antonio-costa,vitor-gaspar,pedro-passos-coelho,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos

À minha frente, no local onde escrevo estes textos, tenho um pequeno quadro com uma famosa citação de Almada Negreiros: “Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa – salvar a humanidade.” O que ali se diz sobre a humanidade poderia ser dito de Portugal. Os livros que já foram escritos com as soluções para a salvação da pátria e o caminho para o seu inabalável progresso poderiam encher várias bibliotecas – e muitos deles são excelentes livros, com excelentes soluções. Só falta mesmo a pátria progredir e salvar-se.

Sugerir correcção
Ler 72 comentários