Depois da surpresa do primeiro trimestre, há sinais de abrandamento no segundo

A subida da inflação, a deterioração da conjuntura internacional e a diminuição da confiança dos consumidores começam, depois de um primeiro trimestre muito positivo, a pesar na evolução da economia portuguesa.

Foto
A confiança dos consumidores e das empresas portuguesas, medida pelo INE, caiu a pique em Março LUSA/LUÍS FORRA

A economia portuguesa acelerou nos primeiros três meses do ano, uma excepção em toda a zona euro, mas no segundo trimestre, principalmente a partir de Maio, chegaram os já esperados sinais de abrandamento provocados pela deterioração da conjuntura externa, a descida da confiança e a subida dos preços.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários