Luísa Salgueiro: atrasos na descentralização da saúde devem-se ao combate à pandemia

Parlamento ouviu representantes dos municípios e das freguesias, que pediram revisões de regras do tempo da troika e ressarcimento de despesas com a covid-19.

Foto
Luísa Salgueiro, líder da ANMP, esta quinta-feira no Parlamento LUSA/MIGUEL A. LOPES

Dos sectores mais importantes da descentralização, é na saúde que o processo está mais atrasado. Apenas 11% das câmaras já estão a assumir as novas competências que receberam da administração central, sendo que a presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Luísa Salgueiro, justifica esse atraso com o combate à pandemia.

Sugerir correcção
Comentar