Semana de quatro dias “é uma melhor forma de organizar a economia no século XXI”

O economista Pedro Gomes lançou um livro em Inglaterra onde defende a semana de quatro dias. Entre quatro e seis anos seria o suficiente, diz, para as empresas, as famílias e o Estado se adaptarem a uma nova realidade. Para este professor da Universidade de Londres, o combate ao populismo é uma das vantagens desta proposta. Friday is the new Saturday vai ser agora lançado em Portugal.

Foto

Depois do descanso aos domingos, a que se juntou depois no século XX o sábado, Pedro Gomes, economista português a residir em Inglaterra, defende que chegou o momento de incluir a sexta-feira. A introdução da semana de trabalho de quatro dias, diz, está facilitada pela pandemia, que enfraqueceu o status quo, e é uma medida que iria melhorar a vida das pessoas e a economia. Afirma ter ficado surpreendido pela introdução do tema no programa eleitoral do PS, mas sublinha que vê a semana de quatro dias como uma inovação social, “e não como uma política partidária”, até porque contém argumentos mais ligados à direita e outros mais ligados à esquerda.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários