De ataques a centros de vacinação a planos para assassinar políticos: grupos de antivacinas sob o radar das autoridades europeias

A revelação, na Alemanha, da existência de debates quanto a matar o chefe de governo de um estado federado pôs a questão do potencial de violência de grupos antivacinas.

Foto
Polícia detém manifestante anti-restrições em Estocolmo, na Suécia Nils Petter Nilsson/Getty Images

Ataques a centros de vacinação ou mesmo planos mais elaborados que incluem assassínios: a descoberta, na Alemanha, de um grupo de activistas antivacinas que estaria a planear matar responsáveis políticos, incluindo o chefe do governo do estado federado da Saxónia, foi um dos casos preocupantes que mostram potencial de violência na Europa.

Sugerir correcção
Ler 12 comentários