Todos os nomes

Niurka morreu não por falta de dador renal compatível, mas porque na Venezuela o programa de transplantes de dador cadáver foi suspenso em 2017 e não voltou a arrancar.

Foto
O caso de Niuka Camacho, insuficiente renal, chegou à comissão interamericana dos direitos humanos - de nada lhe valeu DR

Niurka Camacho tinha 15 anos. Insuficiente renal, fazia hemodiálise há sete. Morreu no dia 3 de Agosto deste ano, porque teve o azar de nascer venezuelana. Antes dela, só em 2021 já tinham morrido nove crianças, a mais nova com dois anos. Depois dela, já morreram pelo menos mais três. Todas insuficientes renais, todas acompanhadas no maior hospital pediátrico público do país.