As “sete vidas” de Rui Rio

Sem quadros que pensem pela sua cabeça (logo, que critiquem o líder), sem liberdade para a discussão aberta, sem antenas para captar o que muda na economia ou na sociedade, o PSD tem a sua missão mais dificultada.

Nas autárquicas de 2001, Rui Rio enfrentou Fernando Gomes, o candidato socialista que na década anterior tinha tirado o Porto do marasmo, e Rui Rio ganhou contra todas as previsões. Em 2019, face a uma ofensiva de Luís Montenegro, arrisca com a convocação de um conselho extraordinário e derrota o seu adversário. Um ano depois, com um resultado decepcionante nas legislativas de 2019, volta a ser contestado e volta a ganhar as directas do PSD. Este ano, perante a estagnação do PSD nas sondagens e as perspectivas de resultados desanimadores nas eleições autárquicas, novos opositores emergem e Rui Rio parece estar outra vez perto do fim de linha, mas, uma vez mais, contra todas as previsões, sai por cima.