Greve de funcionários judiciais não teve impacto nas candidaturas autárquicas

Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários Judiciais, o número de funcionários destacados para os serviços mínimos é igual àquele que estaria a trabalhar, caso não houvesse greve, pelo que, se algo vier a falhar, “será por falta de recursos humanos, e não por causa da greve”.

Foto
Em 2019 os funcionários judiciais manifestaram-se para exigir progressões nas carreiras Nuno Ferreira Santos

O fim do prazo para a apresentação de candidaturas às eleições autárquicas não terá sofrido qualquer impacto da greve dos funcionários judiciais que termina esta terça-feira. Ao PÚBLICO, António Marçal, presidente do Sindicato dos Funcionários Judiciais, lembra que os serviços mínimos foram mantidos e que “a maior parte dos candidatos fizeram a entrega das candidaturas já antes do período da greve”. Por isso, também o sorteio da ordem das candidaturas nos boletins de voto previsto para esta terça-feira deverá decorrer sem contratempos, tal como aconteceu com a entrega de candidaturas esta segunda-feira (não confirmando as preocupações levantadas pelo PS).