Campanha Dr. Bayard recorda os avós, sempre prontos a consolar (ou a dar um rebuçado para a tosse)

Há mais de 42 mil idosos em situação de isolamento. A campanha da Dr. Bayard quer recordar a importância de ligar ou visitar quem tanto nos ensinou.

Foto
Até ao fim do mês de Julho, está, também, disponível uma edição exclusiva da lata vintage de rebuçados, personalizável com uma mensagem para os avós DR

Alerta spolier: é provável que deite uma lágrima com a nova campanha da Dr. Bayard, a propósito do Dia dos Avós, que se celebra esta segunda-feira. A marca portuguesa de rebuçados homenageia os avós, assolados pela solidão durante a pandemia. Avós do Peito, Avós para Sempre quer recordar aos netos o papel determinante que os avós desempenharam na sua vida e relembrar a importância de estar mais vezes com quem gostamos.

O vídeo da campanha, divulgado nas redes sociais da marca, mostra a rotina acelerada de uma jovem, em contraste com a rotina do avô, que tem todo o tempo do mundo. Telefonar ao avô ou visitá-lo é constantemente adiado pela agitação quotidiana, até que, ao vestir um casaco, encontra um rebuçado, que lhe traz a nostalgia da infância e reaviva todos os momentos que viveu com o avô. “Ela nunca se esquece do avô, mas a verdade é que não lhe diz as vezes suficientes o quão gosta dele. Se pensarmos bem, quantos de nós não nos deparámos já com esta situação?”, explica, em comunicado, o director de marketing da Dr. Bayard, Daniel Matias, que é neto do fundador da marca, Álvaro Matias.

Os rebuçados Dr. Bayard são, para muitos, sinónimo da casa dos avós e recordam momentos da infância. Nos bolsos do avô ou da avó era raro não se encontrar um rebuçado perdido, sempre pronto para os netos. No vídeo, é a neta a dar um rebuçado ao avô “em jeito de agradecimento por todos os momentos que já viveram juntos”, conta o responsável.

Mas, mais do que promover rebuçados, a campanha tem por missão consciencializar para o isolamento da população idosa, no âmbito do Dia dos Avós. Em Novembro de 2020, a Operação Censos Sénior 2020, realizada pela GNR, alertava que, em Portugal, há mais de 42 mil idosos em situação de isolamento. “Por isso, é urgente e responsabilidade de todos, incluindo da Dr. Bayard, voltar a acarinhar aqueles que ao longo de mais de um ano se sentiram mais sós do que nunca”, sublinha, ainda, Daniel Matias.

Até ao fim do mês de Julho, está, também, disponível uma edição exclusiva da lata vintage de rebuçados, típica da casa dos avós. Ainda vai a tempo se quiser oferecer uma lata personalizada aos seus avós, escrevendo uma mensagem, que será impressa e colocada no interior da tampa. Cada lata traz 200 gramas de rebuçados e custa 7,95€, com entregas para todo o país.

A lata é inspirada na embalagem original que o refugiado francês Dr. Bayard deixou a Álvaro Matias, em 1944. O médico francês viu-se obrigado a procurar em exílio em Lisboa, durante a Segunda Guerra Mundial e foi ajudado pelo merceeiro português. Ao regressar a França, deixou uma lata de presente ao amigo com uma receita de rebuçados medicinais para a tosse e dor de garganta — assim nasceram os icónicos rebuçados, que acompanham gerações.