Estado de uma Nação dormente

Nenhuma democracia deixa de ter falhas quando a esquerda ou direita é hegemónica e não se divisam blocos conceptuais distintos em sede de economia, sociedade, justiça, trabalho, habitação. Quando apenas há sopa na mesa, as iguarias começam e acabam na dita sopa.

Num outro espaço pediram-me que desse um título ao debate do Estado da Nação. Como fui daqueles (poucos) cidadãos que fez questão de ouvir as quatro horas de conferência parlamentar e, confesso, cheguei a passar pelas brasas, concluí que o mais adequado seria usar o epíteto “Estado de uma Nação dormente”.