Em Lisboa, o Boato é a última aventura do chef Manel Perestrelo

Com experiência em várias cozinhas internacionais, o cozinheiro procura que cada espaço ofereça experiências diferentes. Seja n’ O Boato, a dois passos da Avenida da Liberdade, seja no LouQura, em Campo de Ourique.

alimentacao,gastronomia,fugas,algarve,lisboa,turismo,
Fotogaleria
Esplanada do Boato, por detrás da Avenida da Liberdade DR
alimentacao,gastronomia,fugas,algarve,lisboa,turismo,
Fotogaleria
No bairro de Campo de Ourique fica o restaurante LouQura, que em tempos era o Qura DR
alimentacao,gastronomia,fugas,algarve,lisboa,turismo,
Fotogaleria
No Boato há marisco, mas o restaurante não é uma marisqueira DR
alimentacao,gastronomia,fugas,algarve,lisboa,turismo,
Fotogaleria
O LouQura é um espaço mais "intimista" refere o chef Manel Perestrelo DR

Tudo começou em Vilamoura, em 2015, com o projecto Salmora, o restaurante onde se cruzam os sabores portugueses, com os sul-americanos e asiáticos, e que fica nas imediações da marina. O chef Manel Perestrelo, com experiência em várias cozinhas internacionais, subiu até Lisboa onde abriu mais três espaços, diferentes entre si: o Moço dos Croissants, o Qura — que mudou agora o seu nome para LouQura, depois da inauguração do Cura, para que não haja confusões —, e em 2019, o Boato, mais dedicado ao peixe e ao marisco.