Berardo: o activo tóxico que não deverá contaminar o inquérito ao Novo Banco

Berardo foi detido terça-feira, mas o seu efeito na comissão de inquérito ao Novo Banco já se tinha feito sentir antes. Moniz da Maia, um grande devedor do Novo Banco, recusou ser comparado ao empresário madeirense.

Foto
LUSA/ANTONIO COTRIM

A detenção de Joe Berardo por suspeita de fraude na Caixa Geral de Depósitos (CGD) pode não ter qualquer impacto directo na comissão de inquérito ao Novo Banco mas, entre os grandes devedores que foram depor ao Parlamento, o efeito Berardo já se tinha feito sentir. Moniz da Maia recusou a comparação com Berardo, como se o empresário madeirense fosse uma espécie de activo tóxico para um devedor.