• Valor ainda não está fechado oficialmente, mas deverá ser de 10,75%. CGD justifica preço com o facto de não ser cotado, pela ausência de operações semelhantes e pelos “pelos riscos intrínsecos a este tipo de instrumentos”.

  • Armando Vara diz que enquanto foi administrador do banco público nunca falou com ninguém do Governo, nem José Sócrates nem Teixeira dos Santos, sobre qualquer dossier da Caixa Geral de Depósitos.

  • António Costa garantiu queas reduções de pessoal na Caixas serão feitas por rescisões amigáveis e reformas e que não haverá concelhos sem agências. Mas CDS e BE juntaram-se para criticar o PERES e a forma como as grandes empresas foram beneficiadas por este plano fiscal.

  • O novo Conselho de Administração da CGD, presidido por Rui Vilar, terá pelo menos oito elementos não executivos, sendo que dois serão estrangeiros e três serão mulheres, tal como o PÚBLICO havia noticiado.

  • O plano de reestruturação acordado com a Comissão Europeia prevê que a CGD feche cerca de 25% dos seus balcões abertos ao público, passando de 651 para 470 ou 490 daqui a três anos.

  • Marcelo, Costa e Centeno garantem que todos os concelhos terão balcão da CGD. Macedo já adequou o plano. E promete não despedir ninguém.

  • Banco público diz que na próxima semana decorrerão várias apresentações a investidores institucionais em Lisboa, Londres e Paris