Socialistas continuam a escolher novo líder do partido nesta sexta-feira e no sábado

Só há duas hispóteses de escolha: António Costa ou Daniel Adrião. Mas não há dúvidas sobre quem será o vencedor.

Foto
Eleições no PS decorrem até sábado Rui Gaudencio

Cerca de 62 mil socialistas vão votar de forma presencial nesta sexta-feira e no sábado para escolherem o secretário-geral do PS, num acto eleitoral que começou no passado dia 11 por via electrónica.

Além da eleição do novo secretário-geral, que é disputada entre o actual líder, António Costa, e o dirigente socialista Daniel Adrião, os militantes, simpatizantes registados neste partido e membros da Juventude Socialista com mais de 18 anos estão ainda eleger cerca de 1300 delegados ao Congresso Nacional do PS, que está marcado para os dias 10 e 11 de Julho.

Um congresso que, por causa da pandemia da covid-19, se realizará em 13 locais distintos do país e em espaços que terão de assegurar o cumprimento das normas de distanciamento social impostas pela Direcção Geral da Saúde (DGS).

Segundo fonte socialista, por via electrónica, na passada sexta-feira, votaram já mais de 15 mil inscritos, o que representa uma taxa de participação na ordem dos 25%.

Quem não recorreu à votação electrónica, por eventual problema técnico, ou por opção, vai ter a oportunidade de votar presencialmente na sexta-feira e no sábado, consoante a federação a que o militante ou simpatizante registado pertence.

Esta sexta-feira vão votar de forma presencial os socialistas das federações dos Açores, Aveiro, Baixo Alentejo, Bragança, Évora, Área Urbana de Lisboa (FAUL), Oeste, Leiria, Madeira, Portalegre, Viana do Castelo e Vila Real. No sábado, último dos dois dias de votação presencial, votam os socialistas das federações do Algarve, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Porto, Santarém, Setúbal e Viseu.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Comissão Organizadora do Congresso (COC), o deputado Luís Graça, disse que “os cadernos eleitorais vão estar nas secções do PS, assinalando quem já votou electronicamente”.

“Fechada a urna, o presidente de cada secção - só ele tem conhecimento do resultado da votação electrónica da sua secção - fará a acta com o somatório da votação electrónica e em urna”, explicou Luís Graça.

Na sexta-feira passada, num balanço sobre o dia de eleição por via electrónica do líder e dos delegados à reunião magna do PS, o presidente da COC defendeu que o acto eleitoral “decorreu com toda a normalidade e com todo o sucesso”.

“Foi uma grande festa da democracia interna do PS. O PS provou ser um partido moderno, preparado e que não teme as novas tecnologias”, declarou Luís Graça, também presidente da Federação do Algarve do PS.

De acordo com a COC, que tem uma comissão de acompanhamento do voto electrónico, a plataforma tecnológica revelou-se “robusta e com níveis de segurança de alto nível, que garantindo a confidencialidade, a segurança e o anonimato”.

Em relação à taxa de participação ao longo do dia de hoje, a COC concluiu que “foram superadas todas as expectativas”, razão pela qual se entende que “esta é uma solução para continuar”.

Sugerir correcção
Comentar