Há 1500 alunos que não vão à escola há um ano por motivos de saúde relacionados com a covid-19

Entre as dificuldades em acompanhar a matéria, as saudades, as brincadeiras em casa e as idas “à horta com o avô”, há crianças e jovens que não vão à escola, em regime presencial, há um ano.

Foto
Daniel Rocha

Quando, em Março do ano passado, a pandemia mandou todos os alunos para casa, já Carlos lá estava uns dias antes para se proteger do vírus. Carlos, que preferiu manter-se no anonimato e por isso lhe atribuímos um nome fictício, nasceu com quatro malformações no coração, a tetralogia de Fallot, que lhe foram diagnosticadas à nascença e que obrigaram a que tivesse de ser submetido a um bypass aos seis dias e, depois, a uma primeira cirurgia correctiva aos seis meses.