A geopolítica do confinamento

São muitos os que se surpreendem com a dureza da Administração Biden em face da Rússia e da China e os que pretendem empurrar a Europa para uma via intermédia, com o seu quid de “não alinhada”. Mas não nos deixemos enganar: este vírus é do tipo coronavírus.

1. De há um ano a esta parte, tornou-se um lugar comum dizer que a pandemia foi um catalisador de mudanças que já estavam largamente inscritas na realidade. Algures em Abril de 2020, quando começaram as primeiras declarações de estado de excepção pelo mundo fora e, em especial na Europa, foram vários – para não dizer, muitos – os casos em que os governos aproveitaram a pandemia para aumentar o seu poder e reduzir as liberdades dos cidadãos. Também aí, as tendências autoritárias já se faziam sentir, mas passaram a ter uma nova justificação para serem reforçadas. Se isto é verdade para a política doméstica de cada Estado, não parece menos verdade – bem pelo contrário – para a política mundial ou, se se preferir, a geopolítica global.