Coronavírus

Britânicos voltaram às esplanadas, lojas e ginásios — e as filas não faltaram

Reino Unido iniciou esta segunda-feira a segunda fase do plano de desconfinamento com a reabertura de algumas actividades não-essenciais.

Pessoas fazem fila para entrar numa loja em Oxford Street, uma das ruas mais movimentadas de Londes Reuters/HENRY NICHOLLS
Fotogaleria
Pessoas fazem fila para entrar numa loja em Oxford Street, uma das ruas mais movimentadas de Londes Reuters/HENRY NICHOLLS

Os britânicos deram mais um passo para o "regresso à normalidade". Podem, a partir desta segunda-feira, 12 de Abril, voltar a lojas, bares e restaurantes com espaço de esplanada, aos cabeleireiros, aos ginásios e a outros serviços.

O desconfinamento, há muito aguardado e desejado, ficou marcado por algumas filas, principalmente à porta de lojas de roupa e calçado que, em algumas regiões, abriram mais cedo. Os bares e restaurantes, que até aqui só podiam servir em regime de take-away, podem agora servir clientes nas esplanadas, se as tiverem.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou a 5 de Abril que o Reino Unido iria avançar para a segunda fase do plano de reabertura do país traçado pelo Governo.

Johnson elogiou o comportamento dos cidadãos britânicos e afirmou que o país "está a traçar o seu roteiro para a liberdade". "Está a valer a pena. Os nossos esforços colectivos deram tempo e espaço para vacinar 31 milhões de pessoas. Não vemos nenhum sinal nos nossos dados actuais para pensar que teremos que nos desviar do programa [de desconfinamento]", disse, lembrando, no entanto, que é preciso ser "cauteloso" e "monitorizar os dados em todas as fases".

Além do Reino Unido, também a Itália aligeirou as restrições em seis regiões a partir desta segunda-feira. Das vinte regiões, quatro estarão no nível vermelho de um semáforo que regula o desconfinamento — Vale de Aosta (norte), Campânia, Apúlia e a ilha da Sardenha (sul) — enquanto as 16 restantes estarão no "laranja", o nível de alerta médio, que significa que algumas lojas podem reabrir e que os italianos têm mais liberdade para circular entre municípios. Até dia 30 de Abril, nenhuma região italiana estará na chamada “zona amarela”, a que tem menor risco e limitações.

O primeiro-ministro, Mario Draghi, afirmou que só permitirá a reabertura dos diferentes sectores afectados pelas medidas no caso de estarem asseguradas condições de segurança.

Na República Checa, as escolas, bibliotecas, jardim zoológicos e algumas lojas também puderam reabrir esta segunda-feira depois de meses de portas fechadas. O estado de emergência, que vigorou durante seis meses, terminou à meia-noite. As restrições de circulação e o recolher obrigatório também terminaram.

Além disso, os alunos do 1.º ao 5.º ciclo puderam regressar às aulas presenciais, mas terão de fazer um teste à covid-19 pelo menos duas vezes por semana. Apesar do aligeiramento de medidas, os checos ainda não podem reunir-se em grupos com mais de duas pessoas, nem consumir álcool em espaços públicos, regra que muitos ignoraram, enchendo os parques de Praga neste fim-de-semana de sol, escreve a agência Reuters.

Reabertura de um parque de diversões  em Londres (Thorpe Park)
Reabertura de um parque de diversões em Londres (Thorpe Park) Reuters/MATTHEW CHILDS
Ginásios foram autorizados a reabrir esta segunda-feira
Ginásios foram autorizados a reabrir esta segunda-feira EPA/NEIL HALL
Pessoas fazem fila à porta da loja Primark, em Birmingham, Reino Unido
Pessoas fazem fila à porta da loja Primark, em Birmingham, Reino Unido Reuters/CARL RECINE
Reabertura de um biblioteca em Newcastle upon Tyne, no nordeste de Inglaterra
Reabertura de um biblioteca em Newcastle upon Tyne, no nordeste de Inglaterra Reuters/LEE SMITH
Ginásio em Londres, Reino Unido
Ginásio em Londres, Reino Unido EPA/NEIL HALL
Britânicos já podem frequentar esplanadas. Soho, Londres, Reino Unido
Britânicos já podem frequentar esplanadas. Soho, Londres, Reino Unido EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Cabeleireiro em Londres, Reino Unido
Cabeleireiro em Londres, Reino Unido EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Cliente recebe um corte de cabelo num barbeiro em Londres, Reino Unido
Cliente recebe um corte de cabelo num barbeiro em Londres, Reino Unido EPA/ANDY RAIN
Aula de Spinning em Londres, Reino Unido
Aula de Spinning em Londres, Reino Unido Reuters/HENRY NICHOLLS
Barbearia em Hereford, Reino Unido
Barbearia em Hereford, Reino Unido Reuters/ANDREW COULDRIDGE
Pessoas fazem fila à porta de uma loja em Londres
Pessoas fazem fila à porta de uma loja em Londres Reuters/HENRY NICHOLLS
Empresa de arte Christie's prepara-se para a reabertura em Londres
Empresa de arte Christie's prepara-se para a reabertura em Londres EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
A partir desta segunda-feira, britânicos já podem frequentar as esplanadas dos famosos <i>pubs</i> (bares)
A partir desta segunda-feira, britânicos já podem frequentar as esplanadas dos famosos pubs (bares) Reuters/HANNAH MCKAY
Bar em Londres, Reino Unido
Bar em Londres, Reino Unido Reuters/HANNAH MCKAY
Cabeleireiros também puderam voltar ao funcionamento esta segunda-feira
Cabeleireiros também puderam voltar ao funcionamento esta segunda-feira Reuters/ANDREW BOYERS
Ginásio em Wallsend, Reino Unido
Ginásio em Wallsend, Reino Unido Reuters/LEE SMITH
Funcionário prepara últimos detalhes para abrir uma loja em Londres, Reino Unido
Funcionário prepara últimos detalhes para abrir uma loja em Londres, Reino Unido Reuters/CARL RECINE
Fila à porta de uma loja no centro de Londres
Fila à porta de uma loja no centro de Londres Reuters/HENRY NICHOLLS
Britânicos fazem fila à porta de uma loja de artigos desportivos em Birmingham, Reino Unido
Britânicos fazem fila à porta de uma loja de artigos desportivos em Birmingham, Reino Unido Reuters/CARL RECINE
Clientes saem de sacos na mão depois de visitarem a loja de roupa Primark, em Birmingham
Clientes saem de sacos na mão depois de visitarem a loja de roupa Primark, em Birmingham Reuters/CARL RECINE
Pessoas fazem fila numa loja em Carnaby Street, no centro de Londres. Zona é conhecida como um dos epicentros da cultura na capital britânica
Pessoas fazem fila numa loja em Carnaby Street, no centro de Londres. Zona é conhecida como um dos epicentros da cultura na capital britânica Reuters/HENRY NICHOLLS
Fila para entrar numa loja em Londres
Fila para entrar numa loja em Londres Reuters/HENRY NICHOLLS
Cabeleireiro em Warwick, Reino Unido
Cabeleireiro em Warwick, Reino Unido Reuters/ANDREW BOYERS
Fila para entrar na Primark em Birmingham, Reino Unido
Fila para entrar na Primark em Birmingham, Reino Unido Reuters/CARL RECINE
Loja no centro de Londres
Loja no centro de Londres Reuters/HENRY NICHOLLS
Uma das ruas mais movimentadas de Londres, Oxford Street, na manhã desta segunda-feira
Uma das ruas mais movimentadas de Londres, Oxford Street, na manhã desta segunda-feira Reuters/HENRY NICHOLLS
Loja de recordações perto do Castelo de Windsor, em Berkshire, Reino Unido
Loja de recordações perto do Castelo de Windsor, em Berkshire, Reino Unido Reuters/PETER NICHOLLS
Londres, Reino Unido
Londres, Reino Unido Reuters/HENRY NICHOLLS
Parque de diversões (Thorpe Park) em Londres
Parque de diversões (Thorpe Park) em Londres Reuters/MATTHEW CHILDS
Clientes fazem fila para entrar em restaurante em Londres
Clientes fazem fila para entrar em restaurante em Londres EPA/ANDY RAIN
Sugerir correcção