Teatro Nacional de S. Carlos abre concurso para jovens compositores

O S. Carlos anunciou também a estreia próxima do projecto educativo ABC... Compositores!, dedicado à vida e obra de grandes autores nacionais e internacionais.

Foto
Teatro de S. Carlos DR

O Teatro Nacional de S. Carlos (TNSC) lançou esta terça-feira um desafio a compositores, até aos 25 anos, para criarem obras que serão estreadas pela Orquestra Sinfónica Portuguesa e/ou pelo Coro do TNSC.

“Cada compositor poderá concorrer com uma obra composta numa das seguintes formações: clássica ou sinfónica; coral-sinfónica; camerística (mínimo de 15 elementos)”, explica o TNSC em comunicado. As candidaturas estão abertas até 30 de Junho a compositores portugueses ou residentes em Portugal, adianta o TNSC, que acrescenta ser esta “uma possibilidade de escrever em tempo de confinamento causado pela pandemia”. A obra premiada será executada, em estreia absoluta, no Teatro de São Carlos, em Lisboa, e editada pela AvA Musical Editions.

No mesmo comunicado, o TNSC anunciou ainda a estreia, “em breve”, de uma iniciativa do seu Projecto Educativo, intitulada ABC... Compositores!. É “uma série online com o objectivo de dar a conhecer parte da vida e obra de alguns compositores, mas também para incentivar a criação e a criatividade dos jovens compositores”.

ABC... Compositores! inclui os portugueses Alfredo Keil (1850-1907), autor do Hino Nacional, A Portuguesa, e da ópera D. Branca, entre outras criações, Luís de Freitas Branco (1890-1955), autor da sinfonia dramática Manfred e da peça Canto do Mar, e o contemporâneo Nuno Côrte-Real, que recentemente editou em CD o seu projecto Time Stands Still, no qual cruza as suas composições com as canções do compositor inglês John Dowland (1563-1626).

A série inclui ainda o austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), os alemães Ludwig van Beethoven (1770-1827) e Felix Mendelssohn (1809-1847), os italianos Antonio Vivaldi (1678-1741), Giuseppe Verdi (1813-1901) e Giacomo Puccini (1858-1924) e o compositor Gustav Mahler (1858-1924), nascido na Boémia, ainda sob administração imperial austro-húngara.