Borrell defende a ida à Rússia, apesar do mau resultado da visita

Eurodeputados criticaram decisão do alto representante da UE para a Política Externa e reclamaram a sua demissão. Diplomata espanhol rejeitou “críticas sem fundamento”: “São um pim-pam-pum que só beneficia o Kremlin.”

Foto
Josep Borrell, esta terça-feira, no Parlamento Europeu Reuters/POOL

O alto representante da União Europeia para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell, enfrentou esta terça-feira as críticas e ataques dos eurodeputados — alguns dos quais repetiram apelos à sua demissão do cargo —, e justificou e defendeu a sua controversa visita oficial à Rússia, descrita pelos parlamentares como “inapropriada”, “lamentável”, “desastrosa”, “prejudicial”, uma “oportunidade falhada”, um “fiasco” e um “erro” com repercussões profundas na credibilidade política da União Europeia.