Em Bristol, há seis grávidas que moram todas na mesma rua

A “feliz coincidência” espantou toda a comunidade, que acredita que este é um sinal de que a vida continua, mesmo durante a pandemia.

Foto
Da esquerda para a direita: Jenni Parkinson, Victoria Bromley, Caroline Hardman, Catherine Gilmore, Ellie Shipman e Ailie Tam BBC

Aparentemente, a Avenida Cloud Hill em Saint George, Bristol, no Reino Unido, parece uma típica rua residencial inglesa, mas neste confinamento tudo mudou com o baby boom. É que estão grávidas seis mulheres ao mesmo tempo e todas moram do mesmo lado da rua. A história insólita foi partilhada pela BBC.

Jenni Parkison foi a primeira das seis mulheres a engravidar no mesmo lado da Avenida Clouds Hill. Dia 1 de Fevereiro deu à luz a filha Summer, reduzindo assim a lista para cinco grávidas — quase todas com data prevista do parto para meados deste Verão. “Deve ser qualquer coisa na água”, brinca uma delas.

De facto, a “feliz coincidência” espantou toda a comunidade. As grávidas rapidamente se uniram para organizar actividades em conjunto, mantendo, claro, o confinamento. Ailie Tam é professora de ioga e também está grávida. Dá aulas pelo Zoom para todas as gestantes de Clouds Hill. “Os decibéis vão aumentar nesta rua na Primavera e no Verão, quando as restrições estiverem mais leves — assim esperamos. Vai ser muito divertido”, reconhece a professora de ioga.

Catherine Gilmore está à espera do primeiro filho e recorda como, “parecia que, quase todos os dias”, alguma das vizinhas anunciava uma gravidez. No futuro, espera que os bebés possam brincar todos juntos no parque.

“Corremos, cozemos pão e fizemos bebés”, diz, por sua vez, Carolina Hardman para descrever o confinamento. Tudo começou com duas grávidas, explica, e parecia que, cada vez que falavam entre si, o número aumentava.

As boas notícias animaram a rua, em contraste com situação da pandemia de covid-19 no Reino Unido. “Acho que toda a gente chegou a 2021 à espera de que fosse diferente, mais positivo. Para nós parece isso mesmo”, destaca Victoria Bromley — com parto previsto para Julho. Já Ellie Shipman acredita que o fenómeno insólito significa, mais do que tudo, que “a vida continua”, mesmo na situação que o mundo atravessa.