Processo de migração da TDT está concluído

Foram alterados 243 emissores da televisão digital terrestre (TDT). Migração foi finalizada na Madeira, libertando frequências necessárias para a tecnologia 5G.

Foto
Anacom diz que houve melhoria das condições de recepção do sinal de TDT por via terrestre PAULO PIMENTA

A Anacom anunciou esta sexta-feira que o processo de migração da televisão digital terrestre (TDT) para novos canais ficou hoje concluído, com a alteração do emissor do Pico do Arco da Calheta, na Região Autónoma da Madeira.

Ficam assim totalmente libertas as frequências na faixa dos 700 megahertz que serão necessárias para desenvolver a tecnologia 5G.

No conjunto, neste processo que se iniciou em Fevereiro, em Sines, mudaram de frequência 243 emissores, revelou a Anacom, salientando que a mudança envolveu 100 trabalhadores da entidade reguladora.

Além de libertar as frequências da TDT (cuja operação está entregue à Altice Portugal), a mudança “levou igualmente a uma melhoria das condições de recepção do sinal de TDT por via terrestre, estimando-se um aumento da cobertura de rede de TDT, de cerca de 2% da população (de 92,5% para 94,5%)”, assinala a Anacom.

A entidade presidida por João Cadete de Matos refere que a ressintonia dos receptores (que esteve interrompida nos primeiros meses de pandemia, tendo sido retomada no Verão) “levou ainda a que muitas pessoas que apenas viam os quatro canais em sinal aberto (RTP1, RTP2, SIC e TVI), tivessem passado a ver os sete canais disponíveis nesta plataforma”.

Somaram-se assim a RTP3, RTP Memória e Canal Parlamento “que não viam por desconhecimento e/ou por não saberem fazer a sintonia dos receptores”.

A Anacom adianta que a linha telefónica gratuita criada para esclarecer dúvida e ajudar a fazer a sintonia dos equipamentos (800 102 002) irá manter-se activa até dia 31 de Dezembro.

A Anacom continuará também a ter as equipas técnicas no terreno para prestarem apoio domiciliário às pessoas que não conseguem sintonizar a sua televisão ou o descodificador de TDT e lembra que, até final de 2023, continuarão a existir apoios à compra de equipamento de recepção do sinal por satélite (com informação disponível em http://tdt.telecom.pt/suporte).

Segundo o regulador, o sinal de TDT chega a 100% da população e, com a migração, “94,5% da população poderá receber o sinal por via terrestre e os remanescentes 5,5% poderão aceder ao serviço através de meio complementar (satélite)”.