União Europeia vai reduzir em pelo menos 55% as emissões de CO2 até 2030

Chefes de Estado e governo assumem meta intercalar para garantir que a Europa se torna o primeiro continente a atingir a neutralidade climática em 2050.

Foto
Emmanuel Macron com Charles Michel em Bruxelas, nesta sexta-feira OLIVIER HOSLET/EPA

Os chefes de Estado e governo da União Europeia fixaram uma meta intercalar para 2030 de redução do valor das emissões de CO2 para a atmosfera em pelo menos 55%, de forma a garantir que a Europa será o primeiro continente a atingir a neutralidade climática em 2050.

O compromisso foi assumido pelos 27 depois de uma noite e madrugada inteira de negociações no Conselho Europeu, em Bruxelas, para ultrapassar as resistências de um grupo de países de Leste, que exigiam apoio suplementar para iniciar o processo de transição energética, alegando que se encontram em posição de desvantagem face aos restantes parceiros.

Mas ao início da manhã, foi possível um consenso. O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, anunciou o acordo numa mensagem no Twitter, em que salientou que com o seu compromisso, a União Europeia assume a liderança mundial no combate contra as alterações climáticas.

Pelo seu lado, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, saudou o facto de a decisão dos líderes coincidir com a data do primeiro aniversário do Pacto Verde Europeu (Green Deal), o programa reacção para a transição ecológica e justa que é a grande prioridade política do seu executivo.

“Que bela maneira de celebrar o primeiro aniversário do Green Deal!”, tweetou Von der Leyen.

Vários líderes, entre os quais o primeiro-ministro português, António Costa, também recorreram às redes sociais para assinalar a importância do momento, e as repercussões da sua decisão para o clima, o ambiente e a biodiversidade, mas também económicas e sociais. 

“Na véspera do quinto aniversário do Acordo de Paris, nós europeus comprometemo-nos a reduzir em pelo menos 55% as nossas emissões de carbono até 2030. Dez anos é amanhã, por isso temos que fazer tudo o que é possível para ser bem sucedidos. Agora, já, e todos juntos, porque não há plano B para o planeta”, escreveu o Presidente de França, Emmanuel Macron.

Apesar de os líderes europeus terem passado a noite em claro, a reunião do Conselho Europeu não foi interrompida, e os trabalhos prosseguem com a cimeira do euro.