Mais Big Brother, trocas de apresentadores e Cristina Ferreira na programação de 2021 da TVI

É a primeira grelha com assinatura da nova directora de entretenimento e ficção, mostrada num programa especial em horário nobre. “Está tudo por provar, está tudo por ganhar”, diz Goucha sobre a sua mudança, evocando indirectamente a guerra das audiências entre canais.

reality-show,cultura,telenovelas,tvi,televisao,culturaipsilon,
Foto
Cristina Ferreira Miguel Manso

Na apresentação da programação para 2021 da TVI conduzida na noite desta quinta-feira por Cristina Ferreira, talvez tenha sido Manuel Luís Goucha a resumir indirectamente o actual espírito da luta pelas audiências dos canais generalistas portugueses quando disse que “está tudo por provar, está tudo por ganhar”. O apresentador falava da sua mudança para as tardes da TVI após mais de três décadas a fazer manhãs televisivas, um dos anúncios de uma grelha que se fará das habituais apostas em reality — mais um Big Brother, mais um talent show —, uma nova novela, trocas de apresentadores nos programas diurnos e um programa de humor.

Foi uma apresentação em tudo própria de 2020: feita à distância (o convite para os jornalistas pedia que assistissem “em segurança a partir do seu sofá"), com alguns dos participantes de máscara e Cristina Ferreira no ecrã da TVI para partilhar um evento com os espectadores durante 40 minutos em horário nobre para falar d'O Futuro.

O destino de Goucha está entrelaçado com a nova dupla de apresentadores das manhãs da TVI, Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos, sendo que este último voltará ao Big Brother, desta feita na versão Duplo Impacto, ao lado de Teresa Guilherme. O efeito dominó das trocas continua quando Fátima Lopes transita das tardes para um programa de fim-de-semana em que os participantes fazem pedidos de desculpa ou declarações que silenciaram ao longo da vida; o programa de entrevistas Conta-me, que tanto Fátima Lopes quanto Manuel Luís Goucha apresentavam, passará para as mãos de Maria Cerqueira Gomes, que chegou a fazer dupla com Goucha após a saída de Cristina Ferreira da TVI em 2018. Em aberto e em segredo fica, como foi apenas vislumbrado no final, qual o papel de Cristina Ferreira na apresentação — um título, Cristina Ferreira Comvida [sic], ficou a pairar.

Esta é a primeira grelha com a assinatura de Cristina Ferreira desde que regressou à TVI com novo cargo e novos poderes, mas também após ter passando dois anos na concorrência, alavancando a reconquista da liderança das audiências da SIC. A programação para 2021 envolve ainda um programa de humor com Pedro Fernandes e Marco Horácio e o talent show All Together Now, um formato britânico que envolve 100 jurados.

Continuam as novelas actualmente no ar e estrear-se-á uma novela protagonizada por Diogo Morgado e Inês Castel-Branco, ainda sem título, bem como os programas Querido Mudei a Casa, Mental Samurai e Viva a Vida. O Futuro deixou em aberto títulos e horários específicos de vários programas e qual a dimensão da participação da nova directora de entretenimento e ficção no dia-a-dia da antena. Até agora, Cristina Ferreira, um dos nomes mais potentes e populares da televisão actual em Portugal, tem-se mostrado nos ecrãs da TVI com Dia de Cristina, uma presença semanal ao longo do dia.

Dois anos depois de ter protagonizado uma transferência muito mediática da TVI, onde cresceu como apresentadora, para a SIC, Cristina Ferreira abandonou abruptamente em Julho o cargo de apresentadora na estação da Impresa e também a pasta de consultora executiva da direcção-geral de entretenimento. Na TVI, é agora responsável pelo pelouro do entretenimento e ficção, mas também administradora não-executiva e detém ainda uma participação no capital social da Media Capital.

O seu regresso à estação de Queluz causou “surpresa” e “desilusão” na SIC e originou um processo em que reclama uma indemnização de 20 milhões de euros na sequência do incumprimento do contrato com a SIC (a apresentadora não reconhece fundamento para o valor reclamado). Na prática, esse regresso foi marcado também pela mudança de cargo de Nuno Santos, que passou de director de programas para director-geral da TVI e que sublinhou ao PÚBLICO em Agosto o “valor em antena” de Cristina Ferreira mas também o seu papel nas redes sociais como “uma das maiores criadoras de conteúdos do país”.

Sugerir correcção