Pensões acima de 658 euros ficam congeladas em 2021

Com a inflação em terreno negativo, só o aumento extraordinário de 10 euros permitirá algum ganho de poder de compra, mas apenas para quem recebe pensões mais baixas.

Foto
Só quem recebe pensões até 658 euros terá aumentos no próximo ano Miguel Manso

A inflação em terreno negativo e a contracção histórica da economia determinam que, no próximo ano, as pensões acima de 658,2 euros ficarão congeladas. A notícia já se antecipava, mas só nesta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística divulgou os dados sobre a evolução dos preços em Outubro, concluindo que a inflação média sem habitação, o indicador que serve de referência ao aumento das pensões, fixou-se em -0,03%.

Se se aplicasse a fórmula de actualização automática, todas as pensões ficariam congeladas em 2021, porém o Governo já assumiu que iria dar um aumento extraordinário de 10 euros aos pensionistas que recebem reformas até aos 658,2 euros (valor correspondente a 1,5 vezes o Indexante dos Apoios Sociais).

Este aumento de 10 euros que começa a ser pago em Janeiro do próximo ano deverá abranger 1,9 milhões de pessoas que recebem pensões do regime geral da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações e custará 270 milhões de euros.

Todas as pensões acima dos 658,2 euros ficarão congeladas, cenário que se poderá repetir em 2022.

A regra de actualização automática das pensões tem em conta dois indicadores: a variação média da inflação (sem habitação) nos últimos 12 meses disponível em Dezembro ou em 30 de Novembro (se a de Dezembro não estiver disponível na data de assinatura do diploma de actualização) e a média da taxa do crescimento anual dos últimos dois anos, terminados no 3.º trimestre.

A inflação serve de referência para o aumento a realizar, mas depois, consoante o valor da pensão e a evolução da economia nos anos anteriores, acrescenta-se ou retira-se algumas décimas ao valor da inflação.

Ora, com os preços em terreno negativo e com a contracção da economia provocada pela pandemia de covid-19, a aplicação da fórmula não traz qualquer aumento. E só a decisão negociada com o PCP de dar aumentos extras às pensões mais baixas permitirá que os pensionistas ganhem poder de compra no próximo ano.

Esta não é a primeira vez que o Governo decida dar aumentos extraordinários a quem recebe pensões mais baixas. Mas até este ano, a subida era diferenciada: seis euros para os pensionistas que tinham pelo menos uma pensão actualizada entre 2011 e 2015 e 10 euros para quem não viu as suas pensões actualizadas nesse período.

Em 2020, o aumento extra foi pago em Maio; em 2019, a actualização extraordinária foi feita logo em Janeiro; e, em 2017 e em 2018, o complemento só chegou ao bolso dos pensionistas em Agosto.