Juan Carlos está nos Emirados Árabes Unidos, confirma Casa Real espanhola

O rei emérito chegou a Abu Dhabi no dia 3 de Agosto. Mas não se sabe ainda se é ali que passará a viver, agora que está a ser investigado pela justiça espanhola.

Foto
Terminam as dúvidas que surgiram nas últimas semanas sobre o paradeiro de Juan Carlos Sergio Barrenechea/EPA

A Casa Real espanhola confirmou nesta segunda-feira que o rei emérito, Juan Carlos I, está nos Emirados Árabes Unidos desde 3 de Agosto. O anúncio coloca um ponto final na especulação das últimas semanas sobre o paradeiro do monarca.

A falta de explicações sobre o paradeiro do rei causou mal-estar em Espanha. E o facto de o Podemos não ter sido avisado sobre os planos de Juan Carlos para deixar o país - e apenas Pedro Sánchez, o presidente do Governo e líder do maior partido da coligação governamental, o PSOE o ter sido - causou também atrito no executivo. A esquerda espanhola classificou esta saída de Espanha como “fuga”.

Numa curta nota, o Palácio da Zarzuela informa que Juan Carlos “deu instruções à Casa de Sua Majestade para comunicar que no passado dia 3 se mudou para os Emirados Árabes Unidos, onde permanece até hoje”, cita o El País. Não especifica durante quanto tempo o rei emérito de Espanha pretende ficar em Abu Dhabi, nem se pretende ficar ali a viver - embora próximos de Juan Carlos tenham sido citados pelos media espanhóis dizendo que essa não é a sua intenção.

Permanece o mistério sobre qual será o destino final do rei emérito, que saiu da Zarzuela no dia 2 de Agosto e passou a noite com amigos em Sanxenxo, Pontevedra, na Galiza, de acordo com o El País. No dia seguinte viajou num jacto privado a partir do aeroporto de Vigo com destino a Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos. Ninguém sabe quem pagou esta viagem, que terá custado uns 140 mil euros, frisa o diário espanhol. Sabe-se que o rei tem uma relação de amizade com o príncipe Mohamed bin Zayeb Al Hahyan, que pode ser o seu anfitrião.

Após o anúncio-surpresa de que sairia de Espanha, a TVI avançou que Juan Carlos estaria em Cascais. Quando questionado sobre essa possível estadia em Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa disse não ter conhecimento, tal como as restantes autoridades portuguesas. Dias depois, o Presidente da República reafirmou desconhecer uma eventual deslocação do antigo rei espanhol para Portugal, classificando a ideia de se envolver nessa questão um “disparate”.

Juan Carlos está a ser investigado pela justiça espanhola por suspeitas de pagamentos de comissões ilegais aquando da concessão da construção da linha de alta velocidade (TGV) que une Medina a Meca, na Arábia Saudita, em 2011.

Em 2014, o rei emérito deixou de estar protegido pelo artigo 56.3 da Constituição, que oferece imunidade ao chefe de Estado de Espanha, uma vez que abdicou do trono em favor do filho, Felipe, em Junho desse mesmo ano.