Coronavírus: Inditex, H&M, Calzedonia, Tendam e outras multinacionais encerram lojas em todo o país

Esta quarta-feira, o grupo Inditex anunciou o encerramento de todas as 350 lojas em Portugal. Mas não foi o único.

Rua
Foto
O serviço das lojas online foi reforçado, dado o encerramento dos espaços físicos Nuno Ferreira Santos/Arquivo

É provável que comprar roupa nova seja a última coisa em que está a pensar durante a pandemia do novo coronavírus. Os centros comerciais continuam abertos, ainda que com algumas limitações. Nas ruas, muitas das lojas já estão de portas fechadas. Esta quarta-feira, o grupo Inditex anunciou o encerramento de todos os 350 espaços em Portugal.

Desde esta segunda-feira, as lojas encerradas multiplicaram-se por todo o país. A Sonae Sierra (do grupo Sonae do qual o PÚBLICO faz parte) deu a possibilidade aos lojistas, dos 13 centros comerciais que detém, de encerrarem os seus espaços, sem quaisquer penalizações. O grupo detém centros comerciais como o Colombo e Vasco da Gama, em Lisboa; o GaiaShopping e o ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia ou o NorteShopping, em Matosinhos.

Os apelos dos lojistas, que pediam o encerramento dos espaços comerciais, multiplicaram-se nos últimos dias. No passado domingo, funcionários dos vários centros comerciais protestaram pelos corredores dos mesmos: “Queremos ir para casa!”, diziam, num vídeo disponível no Instagram.

Grupos multinacionais encerram em todo o país

O grupo Inditex encerrou esta quarta-feira as 350 lojas em Portugal. A decisão abarca todas as marcas do grupo — Zara, Massimo Dutti, Stradivarius, Bershka, Pull & Bear, Oysho, Zara Home, Uterqüe e Lefties. A empresa já tinha tomado uma decisão semelhante em Espanha. Todas as lojas, incluindo em centros comerciais, estarão encerradas por tempo indeterminado.

Também as do grupo H&M (H&M e COS) estão encerradas, à semelhança do grupo Tendam, que inclui as marcas Cortefiel, Pedro del Hierro, Women’Secret, Springfield e Fifty, com 152 pontos de venda em todo o país.

O grupo Calzedonia também encerra portas a partir desta quarta-feira. São 196 lojas das marcas Calzedonia, Intimissimi, Tezenis, Intimissimi Uomo e Falconeri. Todas as 18 lojas físicas de calçado desportivo da Kicks foram também encerradas por período indeterminado.

A Ikea decidiu fechar as portas em Portugal, bem como dos estúdios de planificação. Se precisar, durante este período, de comprar alguma coisa, o serviço da loja online foi reforçado. A multinacional sueca tem cinco lojas: Alfragide, Loures, Loulé, Matosinhos e Braga.

A empresa portuguesa Parfois encerrou, no dia 15 de Março, todas as lojas e a sede em Rio Tinto. As devoluções serão gratuitas durante 60 dias, avisa ainda em comunicado.

Na sexta-feira, 12 de Março, o grupo Amorim Luxury determinou o encerramento de todos os seus espaços, que incluem a Fashion Clinic (Lisboa, Porto e Algarve), a Gucci e os restaurantes JNcQUOI.

Ainda que neste momento, a prioridade seja a compra de bens de primeira necessidade, todas estas marcas continuam a funcionar nas suas lojas online.

Sugerir correcção