Coronavírus leva Portugal Fashion a cancelar desfile do criador milanês Gilberto Calzolari

O Portugal Fashion, que começa a 12 de Março, cancelou o desfile do criador italiano, mas mantém a restante programação e calendário. Paralelamente, foi criado um plano de contingência.

Propostas de Gilberto Calzolari para o Outono/Inverno de 2020/21
Foto
Propostas de Gilberto Calzolari para o Outono/Inverno de 2020/21 DR

O desfile do designer milanês Gilberto Calzolari, agendado para 14 de Março no Porto, foi cancelado. A razão prende-se com o facto de tanto o criador como a sua equipa serem oriundos de Milão, Itália, região que regista o maior número de casos e de consequentes mortes pelo surto de covid-19, explicou esta quarta-feira o Portugal Fashion. 

“Lamentamos (...) informar que o desfile do italiano Gilberto Calzolari foi cancelado, uma vez que este jovem criador e a sua equipa de produção são oriundos de uma área com transmissão comunitária activa de covid-19”, lê-se num comunicado do Portugal Fashion. O desfile cancelado era apoiado pela Câmara Nacional de Moda Italiana. A medida serve para “minimizar o potencial de propagação do [surto de] covid-19 num evento que concentra pessoas de vários pontos do mundo, quer na assistência, quer entre o staff técnico”, acrescenta a organização.

A primeira edição do Portugal Fashion no âmbito do 25.º aniversário está agendada para começar no dia 12 de Março e estima-se que sejam apresentados, no Porto, cerca de 30 desfiles de moda ao longo de três dias.

Para já, covid-19 não ameaça Portugal Fashion

O Portugal Fashion mantém a restante programação e calendário. No entanto, no caso de aumento do número de infectados por SARS-CoV-2 no país — e se as autoridades de saúde o recomendarem —, o Portugal Fashion avisa que pode vir a “restringir o acesso aos desfiles”, bem como decidir que os mesmos se realizem “à porta fechada”, assegurando a transmissão online.

O Portugal Fashion adiantou ainda à agência Lusa que está a criar um plano de contingência com o Governo para a 46.ª edição. No plano, o Portugal Fashion indica que se compromete a “assegurar a existência de equipamentos e/ou instalações adequadas para a adopção de boas práticas de higiene”, bem como “limpar regularmente as superfícies potencialmente infectáveis” e “reforçar as recomendações sobre higienização das mãos e de etiqueta respiratória”.

O Portugal Fashion garante que vai ter “um stock de máscaras cirúrgicas para o eventual aparecimento de pessoas com febre ou sintomas respiratórios” e que recomenda aos convidados e ao staff técnico do evento que não compareçam se estiverem doentes ou se tiverem estado em contacto com casos confirmados de covid-19.

Também a ModaLisboa, que arranca em Lisboa esta quinta-feira, apresentou um plano de contingência semelhante, estando equacionada a possibilidade de realizar desfiles à porta fechada

De momento, observa-se que o vírus SARS-CoV-2 é muito contagioso, existindo 43.224 casos activos e confirmados, a maioria na China e cinco em Portugal (três no Porto e dois em Lisboa). Ao todo, desde 20 de Janeiro, foram identificados 94.250 casos de covid-19 e registados 3214 óbitos — o que representa, para já, uma taxa de mortalidade de 3,4%. Mais de metade da totalidade de infectados já não apresenta quaisquer sintomas da doença.

Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus.

Sugerir correcção