Miguel Feraso Cabral
Reportagem

No mundo dos chefs, porque é que as mulheres nunca são as estrelas?

Se há mulheres nas escolas de hotelaria e nas cozinhas profissionais, porque é que não aparecem depois nas listas de prémios? O que explica a sua falta de visibilidade? Porque ficam foram do “sistema de reconhecimento”? A Fugas foi à procura de respostas, para tentar perceber se há discriminação no meio da cozinha criativa em Portugal. Mulheres chefs, organizadores de eventos e a directora de uma escola respondem.

Podíamos encontrar muitos pretextos para este trabalho. Acontece que, por acaso, foram os Prémios Mesa Marcada, anunciados em Lisboa a 20 de Janeiro, o ponto de partida. No final da cerimónia na Gare Marítima de Alcântara, muita gente comentava o facto – que se repete há vários anos – de não haver mulheres entre aqueles que foram considerados os vinte melhores chefs de Portugal. E de, em todas as outras categorias, as mulheres serem também praticamente inexistentes.