Ministro do Ambiente diz que suspender linha circular impede expansão do metro de Lisboa “por três anos”

Ministro do Ambiente fala em “irresponsabilidade” e “interferência” no poder executivo a propósito das propostas de alteração ao Orçamento do Estado do PAN e do PCP, que suspendem a expansão do metro de Lisboa do Rato do Cais do Sodré, criando uma linha circular. Matos Fernandes não poupa também críticas ao PSD.

Foto
Linha circular foi anunciada em 2017 Enric Vives-Rubio

Para o ministro do Ambiente da Acção Climática, Matos Fernandes, a suspensão da expansão do metro de Lisboa do Rato para o Cais do Sodré, criando uma linha circular, é “uma completa irresponsabilidade e uma interferência evidente naquilo que é o poder executivo do Governo”. Aqui, o governante que tutela o metro de Lisboa destaca não só o papel de quem apresentou as propostas de suspensão, o PAN e o PCP, como também o do PSD, o principal partido da oposição.