Michelle Obama com um olho negro? Campanha contra violência doméstica usa figuras da política

O artista italiano AleXsandro Palombo é o autor dos cartazes espalhados pelas ruas de Milão. Angela Merkel, Hillary Clinton e Brigitte Macron são algumas das personalidades retratadas.

Poster
Fotogaleria
Os cartazes estão espalhados pelas ruas da cidade de Milão, em Itália DR
Fotogaleria
Michelle Obama, mulher de Barack Obama, ex-Presidente dos EUA DR
Fotogaleria
Alexandria Ocasio-Cortez, do Partido Democrata dos EUA. DR
Fotogaleria
Hillary Clinton, candidata às eleições presidênciais dos EUA, em 2016 DR
Fotogaleria
Brigitte Macron, primeira-dama francesa DR
Fotogaleria
Sonia Gandhi, líder da oposição na Índia DR
Fotogaleria
Angela Merkel, chanceler alemã DR
Fotogaleria
Aung San Suu Kyi, líder de facto da Birmânia DR

Michelle Obama com o rosto cheio de nódoas negras, Angela Merkel com o nariz em ferida ou Hillary Clinton com o pescoço cortado. Estas são as imagens da nova campanha de sensibilização para a violência domésticas nas ruas de Milão. O autor é o artista italiano AleXsandro Palombo, que exige “uma resposta concreta das instituições políticas”

“Só porque sou mulher” é o nome da campanha que parece não deixar indiferente quem por ela passa nas ruas da cidade italiana. Os cartazes incluem imagens manipuladas de personalidades políticas de todo o mundo como vítimas de violência doméstica. Michelle Obama (ex-primeira-dama dos EUA), Hillary Clinton (também ex-primeira-dama e candidata às eleições presidenciais dos EUA em 2016), Alexandria Ocasio-Cortez (do Partido Democrata norte-americano), Brigitte Macron (primeira-dama francesa), Aung San Suu Kyi (líder de facto da Birmânia) e Sonia Gandhi (líder da oposição na Índia) são os rostos retratados.

“Sou uma vítima de violência doméstica. Sou mais mal paga [do que um homem]. Já passei por mutilação genital. Não tenho direito a vestir o que quero. Não posso decidir com quem vou casar. Fui violada.” São estas algumas das frases que se podem ler como legendas dos cartazes. Em comunicado, AleXsandro Palombo declara que quer “ilustrar este drama que afecta milhões de mulheres em todo o mundo, com o objectivo de denunciar, consciencializar e conseguir uma resposta concreta das instituições políticas”.

Nas redes sociais, os comentários são sobretudo de apoio e de agradecimento pela iniciativa. “Esta é a verdade. Acordem mulheres e apoiem as outras mulheres”, alerta um utilizador. “Obrigada pelo fantástico trabalho”, escreve outro.

Ainda assim, na página de Instagram de AleXsandro Palombo também se lêem críticas. “Que insulto para a inteligência e decência. Isto não é arte”, comenta um utilizador. “Isto é perturbador. Estes rostos não são teus para manipular”, escreve uma seguidora.

Questionado pelo jornal Independent sobre estas críticas, AleXsandro Palombo responde que escolheu incluir figuras da política nesta campanha “porque este é um assunto que tem de ser levado a sério pelo mundo político, daí que tenha ‘convidado’ estas mulheres poderosas a unirem-se e a agir”. “A política deve tornar-se um exemplo para responder em força através de leis que garantam uma justiça rápida e eficiente”, acrescenta o artista italiano.

AleXsandro Palombo é conhecido por utilizar a sua arte “Neo Pop” para consciencializar para importantes temas sociais. Em Outubro do ano passado, o artista de 46 anos retratou as princesas da Disney como sobreviventes do cancro da mama. Anteriormente, já as havia usado para personificar pessoas com mobilidade reduzida.

O artista é também conhecido por transformar em Simpsons várias celebridades, como George e Amal Clooney, Kim Kardashian e Kanye West ou mesmo a família real britânica.