Assad atribui morte do fundador dos Capacetes Brancos à CIA

James Le Mesurier foi encontrado morto na segunda-feira em Istambul, na Turquia.

Fotogaleria
O Presidente sírio em entrevista ao canal de notícias russo LUSA/SANA HANDOUT
Fotogaleria
O corpo de James Le Mesurier foi encontrado junto ao prédio onde vivia Reuters/KEMAL ASLAN

O Presidente sírio Bashar al-Assad acusou nesta quinta-feira a CIA de estar directamente envolvida na morte de James Le Mesurier​, co-fundador e director dos Capacetes Brancos, a organização civil de socorristas que opera em zonas de conflito na Síria. Em declarações ao canal de televisão russo Rossiya-24, Assad afirmou que Le Mesurier pode ter sido assassinado por indivíduos a mando da CIA ou por agentes norte-americanos.

“Sabemos que eles [representantes dos Capacetes Brancos] são naturalmente parte da Al-Qaeda. Acredito que estas pessoas, assim como Bin Laden e al-Baghdadi, já eliminados, foram mortos principalmente porque tinham conhecimento de grandes segredos e acabaram por se tornar um fardo depois de desempenharem os seus papéis”, afirmou o Presidente sírio, citado pela agência de notícias russa Tass.

“É claro que este é um trabalho dos serviços secretos. Mas quais serviços secretos? Os serviços secretos ocidentais em geral, os turcos ou outros na nossa região, não são serviços secretos dos estados, mas são sim departamentos da principal agência de inteligência, a CIA”, acusou.

“É bem possível que a secreta turca tenha cumprido as instruções dos serviços de inteligência estrangeiros. O fundador dos Capacetes Brancos podia estar a trabalhar nas suas memórias e na escrita de uma biografia, e isto era inaceitável. Isto é apenas uma suposição, mas uma suposição muito séria, já que outras opções não me parecem convincentes”, concluiu.

O corpo de James Le Mesurier, de 48 anos, antigo oficial do Exército britânico e ex-funcionário das Nações Unidas, foi encontrado esta segunda-feira junto ao prédio onde residia, no bairro de Beyoglu, no centro de Istambul. As primeiras informações apontam que o britânico terá caído de uma varanda. As autoridades turcas dizem não ter encontrado até ao momento qualquer indício de que Le Mesurier tenha sofrido uma morte violenta, não havendo sinais de luta ou do uso de qualquer arma. 

Le Mesurier dirigia a organização sem fins lucrativos Mayday Rescue, que coordena as doações destinadas aos Capacetes Brancos e tem escritórios em Istambul e na Holanda. Desde a sua criação, em 2013, o grupo composto por mais de três mil voluntários esteve envolvido no salvamento de quase 80 mil pessoas em áreas controladas pela oposição síria, tendo perdido 162 socorristas só em 2016.

O grupo tem sido fortemente acusado pelo regime sírio de Bashar al-Assad e pela Rússia, aliado de Damasco, de apoiar movimentos armados rebeldes. O Presidente sírio descreve frequentemente os Capacetes Brancos como “terroristas” e proibiu-os de actuar nas áreas controladas pelo regime, pelo que o regime de Damasco é ele próprio potencialmente suspeito de envolvimento na morte de Le Mesurier.