Depois do meio-dia vamos ver Mercúrio a passar em frente ao Sol

O fenómeno durará cerca de cinco horas, mas não é visível a olho nu — deve ser visto através de um telescópio equipado com filtro objectivo solar adequado. O próximo trânsito de Mercúrio será em 2032.

Fotogaleria
Trânsito solar de Mercúrio de 2019 visto de Kekesteto, na Hungria Peter Komka/EPA
,Planeta
Fotogaleria
Trânsito solar de Mercúrio de 2016 visto de Boyertown, na Pensilvânia, nos EUA Bill Ingalls/NASA

Esta segunda-feira ocorre um trânsito solar de Mercúrio que será visível em todo o território português, segundo o site do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL). O fenómeno terá início pelas 12h36 e durará cerca de cinco horas. Se em Portugal continental o seu término não será visível, na Madeira e nos Açores será visível por completo – isto se as condições meteorológicas o permitirem.

O que irá mesmo acontecer? Mercúrio irá passar directamente à frente do Sol e isso será visível da Terra. “Durante o trânsito, o planeta apenas tapa a luz solar na nossa direcção, aparecendo como um pequeno disco negro em frente ao disco solar”, refere o OAL. Também o Centro Ciência Viva de Constância assinala na sua página de Facebook: “O fenómeno não é muito frequente (o próximo será a 13 de Novembro de 2032), mas apresenta a curiosidade de se mostrar como um ponto escuro a deslocar-se (muito lentamente) sobre o Sol.” 

Este fenómeno poderá ser observado no extremo ocidental da Ásia e Médio Oriente, em toda a Europa, na parte ocidental do oceano Índico, em toda a África, na América do Sul, na América do Norte (excepto no Alasca) e no oceano Atlântico, e ainda na maior parte do oceano Pacífico e na Nova Zelândia.

PÚBLICO -
Aumentar

Concretamente, em Portugal continental, a duração total do trânsito de Mercúrio será de cerca de cinco horas com início por volta das 12h36 e com o seu máximo pelas 15h20. Contudo, o seu término não será aqui visível, porque o pôr-do-Sol ocorrerá às 17h27. Na região autónoma da Madeira e dos Açores, este fenómeno será completamente visível do início ao fim.

O último trânsito de Mercúrio foi em 2016 e o próximo não será antes de 2032, segundo o site EarthSky.

Como Mercúrio está a uma distância média de 58 milhões de quilómetros do Sol e a Terra está a 150 milhões de quilómetros, durante o trânsito, Mercúrio surge 158 vezes mais pequeno do que o Sol e não se consegue ver a olho nu.

O OAL refere ainda que este fenómeno deve ser observado em segurança e que nunca deve ser observado através de filtros solares oculares. “Pode observar-se o trânsito de Mercúrio através de um telescópio equipado com filtro objectivo solar adequado”, aconselha o OAL, acrescentando que a objectiva do telescópio deve ser tapada com um filtro solar adequado.

Também se indica que a forma mais acessível de se observar o trânsito de Mercúrio é projectar a imagem do Sol através de binóculos num cartão branco. Depois, um segundo cartão pode ser posto à frente da ocular, o que melhorará o contraste da imagem da projecção. “A imagem solar no cartão-alvo aparecerá branca com o pequeno ponto negro de Mercúrio (semelhante a uma mancha solar)”, lê-se. A mesma técnica pode ser usada com um telescópio refractor.

Para se tirar fotografias ao pontinho escuro de Mercúrio no disco solar, os requisitos visuais e fotográficos devem ser idênticos aos da observação de manchas solares e eclipses solares parciais.

A primeira pessoa a ver este fenómeno foi o astrónomo francês Pierre Gassendi em 1631, duas décadas após a construção do primeiro telescópio.

Onde pode ver

Há várias actividades pelo país em que poderá observar o trânsito solar de Mercúrio em segurança. No Porto, pode observar este fenómeno no Planetário do Porto – Centro Ciência Viva das 12h35 às 17h17. Em Lisboa, pode dirigir-se ao edifício C1 da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Aqui, as observações terminarão às 16h30.

Já o Centro Ciência Viva de Constância – Parque de Astronomia abre portas entre as 12h e as 17h “para acolher quem sentir a curiosidade de ver (se o céu não estiver nublado) Mercúrio a passar em frente do Sol, numa imagem gigante projectada num ecrã ou mesmo espreitá-lo através de um telescópio equipado com filtro especial, protecção indispensável para os olhos”, propõe-se na página de Facebook do centro.

O Observatório do Lago Alqueva, em Monsaraz, também disponibilizará telescópios para os visitantes verem Mercúrio no disco solar das 13h30 às 17h.

Nos Açores, o Observatório Astronómico de Santana dinamiza observações em São Miguel das 11h30 às 17h. Mas as actividades nos Açores não se ficam por aqui, haverá observações em São Jorge (na Escola Básica e Secundária de Velas), nas Flores (nas Escola Básica e Secundária das Flores e na Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores) e na Terceira (Praça Velha de Angra do Heroísmo).