• Equipa portuguesa e norte-americana conseguiu criar no ratinho um vírus com os genes que dão origem a uma proteína que causa certos cancros nos humanos. Este vírus quimera será usado para encontrar novas formas de inibir essa proteína.

  • Equipa da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e do Centro Hospitalar de São João realizou, pela primeira vez em Portugal, uma cirurgia plástica minimamente invasiva para o tratamento de cefaleias.

  • James Fallon é um neurocientista norte-americano que descobriu acidentalmente que tem um cérebro de psicopata. Por causa disso, tornou-se famoso. Agora estuda como os sonhos podem, afinal, ser previsões do futuro e o Vaticano encarregou-o de descobrir as formas mais eficazes de transmitir ternura.

  • Equipa portuguesa desvenda que a defesa contra certas infecções nos ratinhos resulta de um diálogo entre neurónios e células imunitárias.

  • Há coisas inacreditáveis que são mesmo verdade e outras que parecem certas mas que não resistem a uma análise crítica. Fazer exames médicos de rotina, mesmo sem qualquer sintoma, parece uma boa ideia, mas na realidade pode causar mais problemas do que aqueles que previne.

  • A ciência também é feita de incertezas e há quem as aproveite para passar ideias erradas e sem fundamentação científica. Assim nascem movimentos pseudocientíficos como o das antivacinas e o da rejeição das estatinas.

  • Uma mutação genética associada a uma doença cardíaca hereditária foi corrigida com a técnica de edição de genes chamada CRISPR/Cas9. Apesar do sucesso da experiência, os cientistas avisam que é preciso mais investigação antes de se levar esta solução para a prática clínica

  • Hugo Sousa, médico e investigador, é o primeiro português a ser distinguido pelo Prémio de Diagnóstico Abbott. Em causa está a descrição, inédita em seres humanos, de uma mutação genética no citomegalovírus que afecta doentes transplantados.