Motoristas de matérias perigosas recusam proposta do Governo

Greve continua convocada para dia 12 até Antram aceitar as propostas que os motoristas têm em cima da mesa.

Foto
Rui Gaudencio

O representante do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) revelou ao PÚBLICO que os trabalhadores não irão cancelar a greve “em troca de uma promessa de desencadear um processo que já antes aconteceu e que não teve resultados”.

Em resposta à pergunta colocada pelo PÚBLICO sobre se iria aceitar a proposta do ministro das Infra-Estruturas e Habitação (MIH) que lhes foi colocada ontem, Pedro Pardal Henriques respondeu que vai transmitir a proposta aos sócios do sindicato, mas avisa que a greve só será levantada depois de a Antram responder aos sindicatos. “Agradecemos o empenho do sr. ministro e aceitamos levar [a proposta] aos sócios, mas a greve só será desconvocada quando a Antram aceitar (ou pelo menos contrapropor de forma séria e honesta) relativamente aos temas que para estas pessoas são imprescindíveis e que foram ontem entregues ao ministério”, esclarece o advogado. Para os membros do SNMMP, está tudo na mesma: “A greve só depende da Antram.” “Têm até sexta-feira para dizer se querem ou não que se faça greve”, termina.

Entretanto, na sede do MIH, já começou a reunião entre o ministro e a Antram. Trata-se da reunião em que também participa a Federação do Sector, a Fectrans, que continua a renegociar o contrato colectivo de trabalho.