Reportagem

Chi Kung, a milenar arte dos monges Shaolin, promove o sucesso dos pequenos alunos algarvios

“As crianças já chegavam ao jardim-de-infância nervosas, irritadiças, partindo rapidamente para a agressão sem razão ou por motivos insignificantes.” O desenho é feito pela educadora de infância, Cristina Seixas, que virou o “chip” aos alunos irrequietos

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Abrem-se as portas, as crianças entram na sala de rompante. “Cuidadinho”, avisa a educadora de infância. De seguida, formam uma roda, sentam-se no chão. Ouve-se uma música suave, instrumental. Dá-se início à aula de Chi Kung — prática milenar chinesa, associada aos monges de Shaolin. Ao fim de 15 a 20 minutos de exercícios, Frederico, de quatro anos, diz: “Sinto-me feliz.” Não causou espanto. O agrupamento de escolas de Paderne, Albufeira, durante o último ano lectivo, testou o ensino desta arte como projecto de investigação no âmbito do sucesso escolar e educativo dos seus alunos. Os resultados foram surpreendentes. No final, todos os 25 professores da escola manifestaram-se a favor na continuação da disciplina no próximo ano lectivo.